Para russos, China é 'melhor amigo' do país

Percepção dos russos em relação aos chineses é mútua, segundo estudos recentes Foto: ITAR-TASS

Percepção dos russos em relação aos chineses é mútua, segundo estudos recentes Foto: ITAR-TASS

De acordo com a sondagem realizada pelo Centro Nacional de Pesquisa de Opinião Pública (VTsIOM), 51% dos russos acreditam que as relações com China são de amizade, seguido por Cazaquistão e Bielorrússia. Especialistas acreditam que pesquisa refletiu tendência atual das relações entre os dois países, apesar do medo de “expansão chinesa” no Extremo Oriente.

O Centro Nacional de Pesquisa de Opinião Pública (VTsIOM) revelou recentemente os resultados de uma pesquisa sobre a percepção dos russos sobre as relações internacionais do Kremlin.

No grupo dos três países “mais amigos”, a China venceu em disparada, com 51%, os dois parceiros da Rússia na União da Eurásia, Cazaquistão e Bielorrússia, que foram reconhecidos como “amigos” por 20% e 32% dos russos, respectivamente.

Em seis anos desde o último levantamento, a consideração dos russos pela China aumentou de forma significativa. Em 2008, apenas 21% dos russos viam a relação com os vizinhos chineses como positiva.

A população também reconheceu a existência de relações calorosas com a Índia (9%), bem como com países da América Latina – Brasil (4%), Cuba (4%) e Argentina (3%).

Paralelamente, os Estados Unidos e diversos países da União Europeia, incluindo a Alemanha, perderam diversas posições nesse ranking, após a adoção de sanções econômicas e forte oposição política. A Ucrânia foi igualmente citada como um dos países mais hostis em relação à Rússia.

Amor e ódio

De acordo com o pesquisador do Instituto do Extremo Oriente e especialista em assuntos da China, Aleksandr Lárin, pesquisas recentes, como a divulgada pelo VTsIOM, têm demonstrado uma avaliação em alta nas relações com a China.

Essa imagem positiva na Rússia tem, segundo o especialista, raízes em vários fatores –  tanto na retórica da mídia, como nas experiências pessoais resultantes do contato direto com cidadãos chineses.

Ao que tudo indica, essa percepção dos russos em relação aos chineses também é mútua. “A porcentagem de cidadãos chineses que têm um sentimento de boas relações em relação à Rússia subiu para 66% nos últimos anos”, aponta Lárin.

“Por outro lado”, diz o pesquisador, “a consciência coletiva é bastante contraditória e, junto com a atitude positiva em relação à China, existem algumas preocupações nem sempre justificadas”. Essas preocupações incluem a ameaça de uma hipotética expansão demográfica chinesa no Extremo Oriente, por exemplo. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies