Mais de 20% dos russos culpam sanções pelo aumento de preços

Entre os alimentos, os legumes e frutas ficaram perceptivelmente mais caros para 68% dos respondentes Foto: Getty Images/Fotobank

Entre os alimentos, os legumes e frutas ficaram perceptivelmente mais caros para 68% dos respondentes Foto: Getty Images/Fotobank

Os russos vêm notando aumentos nos preços de mercadorias, mas apenas um em cada cinco deles tende a colocar a culpa sobre as sanções ocidentais contra a Rússia e as medidas de retaliação, conforme resultados de um estudo conduzido pela instituição estatal VTsIOM.

Vinte um por cento dos russos disseram que o aumento dos preços é uma consequência das sanções, 10% acreditam que sejam desdobramentos dos acontecimentos na Ucrânia, enquanto 9% apontaram a inflação como a principal causa.

Além disso, 7% suspeitam que os revendedores são responsáveis ​​pelo aumento artificial dos preços, e apenas 3% se referiram à situação política global.

De acordo com 85% dos entrevistados, os preços da carne foram os que mais subiram nos dois últimos meses. Três quartos do entrevistados (77%) perceberam um aumento considerável nos preços de moradia e nas contas de serviços públicos.

Entre os alimentos, os legumes e frutas ficaram perceptivelmente mais caros para 68% dos respondentes, enquanto 20% não observaram nenhuma mudança. No total, 60% dos russos criticaram os preços elevados dos combustíveis.

A pesquisa foi realizada com 1.600 moradores de 42 territórios da Rússia. A margem de erro estatístico não ultrapassa três pontos percentuais.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.