Internautas protestam contra lei que proíbe palavrões em blogs

Muitos usuários das redes sociais participaram da ação, incluindo aqueles cujos blogs recebem mais de 3.000 visitas por dia Foto: twitter.com/gabrelyanov

Muitos usuários das redes sociais participaram da ação, incluindo aqueles cujos blogs recebem mais de 3.000 visitas por dia Foto: twitter.com/gabrelyanov

A lei, que entrou em vigor em 1º de agosto, tem como objetivo fiscalizar blogs com audiência superior a 3.000 visitas diárias.

No dia 1ª de agosto, entrou em vigor na Rússia uma lei que iguala os blogs mais populares do país a veículos de comunicação em massa. Entre as medidas propostas, a lei proíbe o uso de mensagens com linguagem abusiva, o que desagradou muitos internautas russos e levou à organização de um protesto nas redes sociais.

O protesto aconteceu na madrugada de quinta (31) para sexta-feira (1). Os usuários conseguiram lançar nos trending topics do Twitter uma hashtag contendo um símbolo obsceno representando um pênis junto com o nome da agência oficial russa encarregada de supervisionar a implantação da nova lei, a Roskomnadzor (Serviço Federal de Supervisão da Comunicação Social e Tecnologia de Informação).

Muitos usuários das redes sociais participaram da ação, incluindo aqueles cujos blogs recebem mais de 3.000 visitas por dia, número que serve de indicador para a exigência de registro obrigatório dos blogueiros, concedendo-lhes os mesmos direitos e obrigações que os demais canais da mídia.

Muitos usuários tentaram usar um tom humorístico ao adicionar hashtags em suas mensagens. Teve até quem explicasse que o palavrão que surgia na hashtag estava ali por culpa do gato, que passou por cima do teclado: "Oh, vejam que letras saíram juntas por causa do meu gato", escreveu um internauta.

https://twitter.com/traktor_bang

 A apresentadora de TV e socialite Ksénia Sobtchak escreveu em seu perfil no Twitter: "Não sejam *****, proíbam a própria ******, mas não a palavra que a designa!"

https://twitter.com/xenia_sobchak

Em resposta ao fluxo de comentários obscenos dirigidos ao seu departamento, o vice-diretor da Roskomnadzor, Maksim Kssenzov, desejou a todos os blogueiros uma boa noite e fez uma citação livre de uma parte do hino Akathistos[2]: "Senhor, perdoa a todos os que não se contêm nas palavras. Suaviza os seus corações, trá-los à razão e apazigua-os".

Na manhã em que a lei entrou em vigor, quando o fluxo de mensagens não parecia ter fim, Ksenzov deixou mais uma mensagem: "Àqueles particularmente talentosos que estão enviando mensagens abusivas direcionadas à Roskomnadzor aviso que não vamos analisar nem responder a elas. E também não vamos prestar atenção".

Supervisão de blogs

Cerca de 60 blogueiros já conseguiram enviar o pedido de registro para a Roskomnadzor logo nas primeiras horas após a lei entrar em vigor, segundo informou à agência de notícias Itar-Tass o assessor de imprensa do órgão, Vadim Ampelonskov.

A própria Roskomnadzor pediu aos sete blogueiros russos mais populares para se cadastrarem no departamento de registros, informou o jornal “Izvéstia”. De acordo com a publicação, fazem parte da lista o escritor Boris Akúnin, o político da oposição Eduard Limonov, o fotógrafo e viajante Serguêi Dolia, o ator Mikhail Galustian, o humorista Mikhail Zadornov, o diretor-executivo da empresa NewsMedia, Achot Gabrelianov, assim como o blogueiro Dmítri Tchernichev.

A Duma (câmara dos deputados russa) aprovou a lei que igual os blogueiros mais populares a veículos da mídia em abril de 2014. A lei garante a supervisão de todos os blogueiros com audiência superior a 3.000 visitantes por dia e os proíbe de escrever informações falsas, promover pornografia e escrever mensagens obscenas, assim como os obriga a assinar seu nome e endereço de e-mail. Em troca, os blogueiros obtêm o direito oficial de colocar anúncios em seu blog. A lei prevê que em caso de violação os blogueiros não serão multados ou bloqueados, mas sim as plataformas em que publicam suas mensagens.

A lei foi uma resposta dos deputados à cobertura dada pelos blogueiros ao ataque terrorista de Volgogrado (970 quilômetros ao sul de Moscou), ocorrido em dezembro de 2013. Durante esse período, surgiram nos blogs russos muitas mensagens sobre novas explosões que mais tarde provaram-se falsas.

Muitos blogueiros e especialistas da Internet reclamam que a lei é incompleta, e até agora não está claro como ela vai funcionar. A Roskomnadzor assegura que as verificações dos blogs vão ser realizadas apenas mediante solicitação.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.