Deputado de Moscou diz que lei antitabagista é “muito severa”

Além de bares e restaurantes, também é proibido fumar em trens de longa distância e navios Foto: ITAR-TASS

Além de bares e restaurantes, também é proibido fumar em trens de longa distância e navios Foto: ITAR-TASS

Segundo porta-voz da Duma, restrições excessivas dificultam respeito à norma.

“O objetivo da lei não é perseguir e punir os fumantes, mas demonstrar que o tabagismo é um mau hábito”, disse Vladímir Platonov, porta-voz da Duma (câmara de deputados) de Moscou, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (21).

Segundo ele, levando em conta os novos padrões estabelecidos pela lei, não é uma tarefa fácil respeitá-los. “Entendo que, durante um voo, um fumante é capaz de segurar a vontade, mas eu não vejo como um fumante pode tolerar tanto tempo sem fumar em um trem de longa distância para, digamos, Vladivostok.”

A lei antitabaco russa entrou em vigor em 1o de junho de 2013, logo após o Dia Mundial Sem Tabaco. Desde então, o fumo é proibido em locais públicos, hospitais, escolas, instalações culturais e esportivas, edifícios administrativos, aeroportos, escritórios e escadarias de prédios.

Desde 1o de junho de 2014, a proibição entrou em vigor também em trens de longa distância e navios, plataformas, hotéis, mercados e lojas. Fumar também é proibido em restaurantes, cafés e bares.

Além disso, a lei proíbe a publicidade de tabaco em meios de comunicação e em lojas, bem como a realização de campanhas promoção ao ar livre ou o patrocínio de tais iniciativas. A norma elevou ainda os impostos sobre o consumo de tabaco e fixou preços mínimos para a venda do produto.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.