O que ganham os russos que participam de concursos?

Entre a massa dos felizardos ganhadores de concursos e competições, há também jogadores profissionais Foto: PhotoXPress

Entre a massa dos felizardos ganhadores de concursos e competições, há também jogadores profissionais Foto: PhotoXPress

O presidente da Organização de Autorregulamentação das Apostas da Rússia, Oleg Zhuravski, disse à Gazeta Russa que os russos não gostam de participar de sorteios onde o prêmio depende somente da sorte. Pelo contrário, são apaixonados por concursos onde podem utilizar sua capacidade mental para fazer dinheiro, como, por exemplo, as apostas.

Natália se considera uma mulher de pouca sorte, por isso não participa de concursos ou loterias. No entanto, recentemente ela recebeu duas surpresas totalmente inesperadas.

“Uma moça me ligou dizendo que era representante da TV a cabo e me explicou que eu havia sido ganhadora de um concurso mensal entre os assinantes que pagam em dia suas faturas. Eu fiquei muito surpresa, mas o inesperado mesmo foi o prêmio –25 quilos de açúcar”, contou. Ao ouvir a notícia, Natália não acreditou e se dirigiu ao escritório da empresa para sanar as dúvidas. Voltou de lá com muito de açúcar.

“Tive sorte, estamos na época de preparar geleia, esse açúcar vai se muito útil não só para mim, mas para todos meus parentes”,  disse. 

Ela ainda foi vencedora de um concurso em que o prêmio era um pacote de turismo para a Turquia com um grande desconto. Ela não acreditou que tinha ganhado até embarcar no avião.

Muitas vezes, os russos têm sorte nesses tipos de concursos que presenteiam pacotes de turismo.

Viktor participou de um de uma empresa de laticínios onde tinha de escrever uma redação sobre “as férias dos sonhos”. Os representantes da empresa posteriormente enviaram-lhe um email (que ele não abriu) sobre sua vitória na competição. Os representantes então entraram em contato por telefone e foram enfáticos afirmando que não era trote que ele realmente tinha ganhado uma viagem para dois com tudo pago à Índia.

Anna, por sua vez, ganhou uma viagem para a Grécia.

“Em uma determinada rede social eu li o anúncio de um concurso na página da Associação Nacional de Turismo da Grécia. Os participantes deveriam montar um esquema com 16 fotos escolhidas por eles sobre a Grécia. Eu montei um sobre a história marítima do país. Havia um determinado método para escolher os vencedores entre os 64 mil participantes e eu fui escolhida juntamente com outros 120 vencedores de vários países para viajar à Grécia com tudo pago. A viagem ocorreu durante a baixa estação –no fim de outubro. Pagaram tudo para nós. As passagens, a estadia por 5 dias com café da manhã, almoço e jantar. A única coisa que eu paguei foi a taxa do visto”, contou eufórica.

Já Ekaterina foi a vencedora de um sorteio de uma viagem de fim de semana a Paris, promovida pelo restaurante de um famoso hotel 5 estrelas. Ela aproveitou para levar seus pais. “A viagem foi totalmente grátis, nos pagaram café da manhã, almoço e jantar no restaurante do hotel”, relembrou.

Ilia teve a sorte de adivinhar uma palavra durante um show de televisão e ligar primeiro.

“O mais importante era ser o primeiro a ligar para a produção, não adivinhar a palavra”,  conta. “Com isso, ganhei uma pequena quantia de dinheiro que foi logo depositada em minha conta”, relata.

Aleatoriedade mínima

Entre a massa dos felizardos ganhadores de concursos e competições, há jogadores profissionais que estão atentos a toda sorte de concursos, participando de cada um deles. Dentre eles, há garotas que participam frequentemente de concursos nas redes sociais, pedindo a amigos e conhecidos que votem nas páginas de seus perfis. Muitas já ganharam vários prêmios que vão desde sucos e refrigerantes, passando por sessões de fotos até viagens à Suíça e França.

O presidente da Organização de Autorregulamentação das Apostas da Rússia, Oleg Zhuravski, disse à Gazeta Russa que os russos não gostam de participar de sorteios onde o prêmio depende somente da sorte. Pelo contrário, são apaixonados por concursos onde podem utilizar sua capacidade mental para fazer dinheiro, como, por exemplo, as apostas.

“Um bom exemplo disso é que os russos estão realizando várias apostas durante a Copa do Mundo, baseados em suas análises particulares”, relatou. “Se uma pessoa entende bem de esporte e acompanha de perto as partidas e o desenvolvimento das equipes, pode, com grande probabilidade, prever o resultado de eventos e ganhar apostas”, explica o especialista.

“Já vimos pessoas apostarem e ganharem quantias enormes de dinheiro, algo como 5 a 10 milhões de rublos (US$ 125 mil a US$ 250 mil), apesar disso não ser frequente. Não é sempre que os russos estão dispostos a apostar grandes quantias de dinheiro. Há, por outro lado, uma grande disposição a pequenas apostas. Os adeptos gostam de apostar 50 ou 100 (US$ 1,50 a US$ 3) rublos em jogos de seus times favoritos”, conta.

De acordo com o especialista, o número das pessoas viciadas em apostas não passa de 6% da população, abaixo da média. “Basicamente são homens de 22 a 45 anos; a participação feminina é quase irrelevante, já que, em princípio, não são muito interessadas em eventos esportivos”, disse.

A aposta institucional ainda não é muito popular na Rússia, todavia é um setor em pleno desenvolvimento.

“No Reino Unido, os diversos sistemas de apostas em eventos esportivos são tradicionais há 130 anos, algo comum também na França, na Itália e na Espanha. Na Rússia, elas apareceram apenas há 20 anos”, concluiu o especialista.    

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.