Comitê de Investigação prende primeiros suspeitos responsáveis por acidente no metrô

Polícia da capital russa prendeu dois suspeitos de serem responsáveis pelo acidente no metrô moscovita. Segundo as últimas informações oficiais divulgadas, descarrilamento causou a morte de 22 pessoas e mais de 150 feridos.

O acidente no metrô de Moscou nesta terça-feira (15) resultou na abertura de um processo criminal devido à violação das normas de segurança no transporte. Enquanto os investigadores da polícia continuam examinando o local do acidente, a prefeitura apresentou um relatório, no qual afirma a inexistência de quaisquer falhas técnicas antes do ocorrido.

“Já temos a confirmação de que o veículo acidentado, assim como os trilhos no trajeto do acidente, haviam sido submetidos à manutenção regular prevista pelos padrões correspondentes”, comunicou o porta-voz do Departamento de Transporte e Desenvolvimento de Infraestrutura de Moscou em entrevista à agência Interfax.

Paralelamente, a versão inicial do Ministério para Situações de Emergência, que cita um pico de tensão como a principal causa de parada brusca do trem, não foi confirmada. Outra hipótese avaliada pelos investigadores sugere o mau funcionamento do aparelho de mudança de via no local da tragédia.

“Além de outras coisas, estamos examinando a versão de defeito no próprio carro e não descartaremos nenhuma outra sugestão que possa aparecer ao decorrer da investigação”, diz Vladimir Markin, representante do Comitê de Investigação da Rússia. “O acidente poderia ter sido causado por uma série de fatores, tais como as falhas no funcionamento do aparelho de mudança de via ou afundamento de trilhos provocados pelas obras no segmento paralelo ao trajeto.”

Primeiros suspeitos

A polícia da capital russa prendeu os primeiros suspeitos de serem responsáveis pela tragédia. Eles são Valéri Bachkatov, supervisor do serviço de manutenção de trilhos do metrô moscovita, e Iúri Gordov, seu assistente.

   

Fonte: YouTube

De acordo com as informações coletadas pela investigação, desde o final de maio de 2014, o trajeto que liga as estações Park Pobédi e Slaviánski Bulvar estava sendo submetido aos trabalhos de instalação de trilhos e de aparelhos de mudança de via com o objetivo de anexar a linha Arbatsko-Pokrovskaia do metrô a um trecho em construção da linha Kalininskaia. 

“Bachkatov e Gordov tiveram participação ativa nas obras de instalação de aparelhos de mudança de via e efetuavam o controle do seu andamento. A principal versão de investigação consiste na negligência por parte da equipe, que fixou o mecanismo com um simples arame de 3 milímetros de diâmetro que foi arrebentado logo em seguida”, diz o comunicado oficial do comitê.

“Por enquanto, a lista dos suspeitos inclui apenas os funcionários diretamente envolvidos na realização de trabalhos. No entanto, o Comitê de Investigação pretende abrir os processos criminais contra todos os responsáveis pela tragédia, que incluem os executores de trabalhos e chefes de administração, cujas funções profissionais previam a realização de controle e garantia de cumprimento de todas as exigências das normas de segurança do estabelecimento.” 

Versões paralelas

Enquanto aguardam os resultados da investigação oficial, os cidadãos russos tentam entender por conta própria os motivos dos acontecimentos trágicos.

Vale ressaltar que os moradores da capital haviam comunicado os defeitos nos trilhos do trajeto que liga as estações Park Pobédi e Slaviánski Bulvar semanas antes do acidente.

Em sua página no Facebook, o ativista Serguêi Molostov afirma que havia encaminhado uma carta oficial à administração do metrô de Moscou relatando a “vibração de carros de trem nos trechos entre as estações Kievskaia, Park Pobédi e Slaviánski Bulvar que pertencem à linha Arbatsko-Pokrovskaia”.

A resposta oficial recebida da administração do órgão assegurou o ativista da “correspondência de trilhos às normas técnicas e valores de tolerância; ausência de brechas nos locais de encaixe e sua conformidade com as normas técnicas”. No entanto, a autenticidade da própria carta, assim como a da resposta, não foi confirmada.

Um dos usuários do LiveJournal também apresentou a sua própria versão da tragédia que, em sua opinião, foi causada pelo mau funcionamento do aparelho de mudança de vias. O autor apresenta uma série de fotos das obras realizadas na linha Arbatsko-Pokrovskaia, ressaltando o desconforto e fortes vibrações notados pelos passageiros que percorriam o trecho entre as estações Park Pobédi e Slaviánski Bulvar antes do acidente.

Em entrevista à edição russa da emissora BBC, uma fonte anônima no sindicato de funcionários do metrô de Moscou sugeriu ainda que a falta de controle da posição do indicador do aparelho de mudança de vias por parte de uma funcionária responsável poderia ter sido o verdadeiro motivo do acidente.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.