Dicas para alugar um apartamento em Moscou

Preços dos aluguéis em Moscou crescem de 5 a 10% ao ano Foto: arquivo pessoal

Preços dos aluguéis em Moscou crescem de 5 a 10% ao ano Foto: arquivo pessoal

Está de mudança na capital russa? Confira alguns detalhes que podem valer mais do que sorte nessa busca.

A maioria dos apartamentos para alugar em Moscou se encontram em prédios construídos nos anos 80, com blocos pré-fabricados leves e pouco atraentes. Mesmo assim, o mercado de aluguel de imóveis na capital é extremamente caótico. Os proprietários dos apartamentos podem apelar para várias agências ao mesmo tempo, o preço dificilmente pode ser chamado de transparente e os corretores de imóveis têm o hábito de não ligar de volta.

Em setembro, época de início de ano letivo, é quase impossível achar algo livre, já que estudantes e moradores do interior que buscam trabalho costumam chegar à cidade nessa época. É nessa época também que os preços crescem mais rápido do que o mercado – a valorização é tamanha que, em outubro, os proprietários são geralmente obrigados a recuar.

Mas fato é que, independentemente da época, a velocidade com que os preços dos aluguéis crescem em Moscou é de 5 a 10% ao ano. Isso significa que quem alugar hoje um bom apartamento de um quarto nas proximidades do Anel Rodoviário por US$ 1.000 mensais, não deve ficar surpreso se, daqui a um ano, o corretor de imóveis avaliar esse mesmo apartamento em US$ 1.100. Felizmente, não é de praxe aumentar os preços para os inquilinos permanentes, ou seja, aqueles que alugam um apartamento por mais de um ano.

Muito comum no mercado imobiliário de Moscou é a expressão “estilo babuchka” (“estilo avó”), como são chamados apartamentos não reformados há mais de 20 anos. Neles é possível encontrar elementos inerentes ao indestrutível passado soviético de qualquer avó russa: guarda-louças com um velho conjunto de peças de porcelana, tapete empoeirado cobrindo a parede e um número infinito de prateleiras pregadas ainda na época de Brejnev.

Esses apartamentos são os mais baratos da capital e  custam cerca US$ 790 por mês, enquanto o aluguel de apartamentos de categoria mais elevada começa a partir de US$ 1.100. O problema é que os bons apartamentos têm tanta saída como pãezinhos quentes.

“Certa vez, encontrei nos anúncios um excelente apartamento, entrei em contato com o corretor de imóveis e ele pediu que eu viesse em trinta minutos para ver o imóvel. Quando, passados 40 minutos, eu apareci no local, o apartamento já havia sido alugado”, conta Anna Korchunova.

Atualmente, um grande número de apartamentos e quartos são alugados por meio de anúncios pessoais nas redes sociais Vkontakte e Facebook. Trata-se de uma opção tentadora, porque exclui a participação do corretor de imóveis, cujos serviços chegam a custar até 100% do valor mensal do aluguel em Moscou. No entanto, há sempre o risco de esbarrar em golpistas.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.