Governo planeja mudanças no sistema público de educação complementar

As crianças são incentivadas a participar de atividades de canto, desenho, dança e música Foto: ITAR-TASS

As crianças são incentivadas a participar de atividades de canto, desenho, dança e música Foto: ITAR-TASS

O sistema público de educação complementar para crianças é muito amplo, e suas bases foram lançadas ainda durante o período soviético. Porém, atualmente, as opções de hobbies só aumentaram graças às instituições privadas.

O sistema de “Casas da Criatividade” para crianças, antigamente chamadas de “Palácios dos Pioneiros”, engloba organizações que operam com verba do Estado e, em geral, estão presentes em qualquer cidade russa. Ali estão reunidas atividades de cunho cultural, seções de esportes, atividades ecológicas e grupos cívico-patrióticos.

As crianças são incentivadas a participar de atividades de canto, desenho, dança e música, realizar caminhadas ecológicas e estudar a natureza e a história, costurar, fazer tricô, confeccionar artesanato ou jogar xadrez. Essas aulas para as crianças são gratuitas ou têm um custo baixíssimo (6 a 14 dólares por mês), sendo necessário adquirir apenas os materiais, como, por exemplo, tintas, pincéis e papel.

Custo no particular

Hóquei: US$ 100 a 140 ao mês, para treinar duas vezes por semana

Dança de salão: US$ 60 a 120 por mês, além dos trajes para apresentações (a partir de US$ 200)

Desenho e pintura: US$14 por hora (individual), e entre US$ 50 e 130 (em grupo)

Instrumento musical: US$ 90 por mês

Mas nem toda criança encontra algo de seu interesse na Casa da Criatividade mais próxima nem todos os pais têm condições de levar o seu filho para outro bairro. Além disso, como o nível de ensino nas “Casas da Criatividade” nem sempre é o mais elevado, por causa dos baixos salários dos professores, alguns pais optam por instituições privadas.  

O filho de Olga, por exemplo, tem 5 anos de idade e já frequenta um curso de patinação artística há seis meses. “Minha vizinha matriculou seu filho nesse curso e eu fiz o mesmo, para fazer companhia. Quero que pelo menos alguém da família seja capaz de patinar bem”, conta. As aulas são ministradas três vezes por semana a um custo mensal de US$ 170, fora o custo do uniforme esportivo e dos patins.

Mudanças à vista

Diante dos preços elevados para os padrões russos, as autoridades do Ministério da Educação e da Ciência acreditam que o sistema soviético de educação complementar precisa de modernização, mas deve permanecer gratuito. “A mais importante conquista social do nosso sistema é a educação complementar gratuita”, diz o ministro da Educação, Dmítri Livanov.

O novo conceito de desenvolvimento da educação complementar já deve estar totalmente elaborado em junho de 2014. “O seu potencial se enfraqueceu significativamente nos últimos 20 anos e precisamos alcançar um novo nível de desenvolvimento do sistema de educação e formação complementar das crianças em nosso país”, acrescenta o ministro.

A pasta planeja criar círculos de estudo das inovações e nanotecnologias e desenvolver o turismo educacional. A educação das crianças não só será conectada a organizações culturais e esportivas, mas também envolverá representantes da ciência e dos negócios. 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.