Operadores turísticos registram queda na demanda por cursos na União Europeia

Centros de língua estrangeira em Malta e no Chipre estão sendo priorizados pelos russos Foto: RIA Nóvosti

Centros de língua estrangeira em Malta e no Chipre estão sendo priorizados pelos russos Foto: RIA Nóvosti

A procura na Rússia por programas de ensino estrangeiros durante o verão caiu em relação ao ano anterior, depois de a União Europeia impor sanções à Rússia. Cursos de verão na Inglaterra foram os mais afetados.

“A demanda em diferentes empresas de turismo diminuiu entre 20% e 50% desde 2013”, anunciou a porta-voz da União da Indústria do Turismo, Irina Tiurina.

O início desta semana foi marcado com a expansão da “lista negra” da UE, que já conta com mais de 60 autoridades e empresários russos proibidos de entrar na União Europeia.

“Os escritórios de diplomacia estrangeira garantem que os cidadãos comuns que pretendem viajar para o exterior não devem ter medo de sanções, pois todos os países estão interessados ​​em atrair fluxos turísticos da Rússia e ninguém irá colocar obstáculos na emissão de vistos para turistas.

“No entanto, muitos russos levam a política de sanções a sério, e o segmento de turismo educacional acabou se mostrando o mais vulnerável”, ressaltou Tiurina.

Além da queda brusca registrada nos cursos de língua estrangeira na Inglaterra, países como Estados Unidos, Canadá e Austrália também sofreram impacto das críticas ao Kremlin.

“Os centros de língua estrangeira em Malta e no Chipre estão levando vantagem nesse aspecto”, disse a porta-voz.

 

Publicado originalmente pela agência Itar-Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.