Cresce o número de patriotas na Rússia, aponta pesquisa

Segundo os participantes da pesquisa, o verdadeiro patriotismo se manifesta pelo "amor à pátria" (15%) Foto: AP

Segundo os participantes da pesquisa, o verdadeiro patriotismo se manifesta pelo "amor à pátria" (15%) Foto: AP

Dados da organização sem fins lucrativos Fundo de Estudo da Opinião Pública (FOM) revelaram que a maioria dos russos considera-se patriota. Além disso, subiu o número dos cidadãos que julgam fieis ao país a maior parte dos seus compatriotas. Na opinião dos sociólogos, a presente mudança na consciência pública possui uma ligação direta com a anexação da Crimeia ao território nacional, assim como foi provocada pela "valorização geral de patriotismo".

De acordo com a pesquisa realizada pelo Fundo de Estudo da Opinião Pública (FOM), cerca de um terço dos russos entrevistados (38%), cuja maioria reside em cidades com mais de um milhão de habitantes, consideram fiel ao país a maior parte dos seus compatriotas. Um em cada cinco cidadãos atribui o sentimento de patriotismo apenas a metade dos russos, enquanto 19% (contra 41% em 2006) acreditam que os patriotas compõem um grupo do tamanho inferior à metade da população do país. Na opinião de 3% dos entrevistados, todos os cidadãos russos são patriotas, enquanto a mesma quantidade de pessoas acredita que nenhum russo étnico sente orgulho de sua pátria.

Segundo os participantes da pesquisa, o verdadeiro patriotismo se manifesta pelo "amor à pátria" (15%), "prontidão de defendê-la" (8%), "permanência no seu território" (6%) e "trabalho para o seu benefício" (5%). Dois grupos compostos por 3% dos entrevistados consideram o apoio à anexação da Crimeia e a confiança no governo sinais de verdadeiro patriotismo, enquanto 34% dos participantes da pesquisa não conseguiram citar nenhum exemplo da atitude patriótica.

"O patriotismo ganha cada vez mais espaço no território da Rússia devido à união do país com a Crimeia", acredita Grigori Kertman, analista da FOM.

"A onda de patriotismo é uma consequência direta do sucesso na realização das Olimpíadas em Sôtchi e da conquista da península", concorda Valeria Kassamara, chefe do laboratório dos estudos políticos da Escola Superior de Economia. "Ótimos resultados esportivos e vitórias políticas deram aos cidadãos novos motivos de ter orgulho de seu país", acrescenta.

No entanto, o patriotismo não impede de se criticar as autoridades, acreditam 57% dos russos contra 33%, enquanto a metade dos entrevistados não considera obrigatório o conhecimento de letras do hino nacional, porém 37% incluem o item na lista dos principais requisitos patrióticos. Quanto ao serviço militar, 70% acreditam que os cidadãos russos que tendem a evitá-lo não tem patriotismo.

Ao mesmo tempo, 72% afirmam que é necessário amar a natureza do seu país para ser considerado um verdadeiro patriota. Na opinião da metade dos participantes da pesquisa (não compartilhada por um terço dos seus colegas), os russos que ignoram as eleições não podem ser chamados de patriotas, assim como não são patriotas todos os tipos de imigrantes, afirmam 59%. "Ao longo dos últimos anos, os critérios de patriotismo não sofreram quase nenhuma alteração", conclui Grigori Kertman.

Em comparação com os dados da pesquisa realizada em 2006, o número de patriotas na Rússia cresceu, atingindo 75% contra os anteriores 57%. Ao mesmo tempo, apenas 17% dos cidadãos não compartilham o sentimento patriótico em relação ao seu país.

"O patriotismo conseguiu conquistar um lugar importante na lista dos valores sociopolíticos da população russa", comenta Leontii Bizov, pesquisador sênior da Academia de Ciências da Rússia. Na sua opinião, as mudanças na consciência pública foram provocadas pela "valorização geral de patriotismo" no período entre os últimos dois a três anos.


Publicado originalmente pelo Kommersant

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.