Vodca é apontada como “vilã” para expectativa de vida na Rússia

O governo russo lançou uma cruzada contra o abuso de álcool Foto: RIA Nóvosti

O governo russo lançou uma cruzada contra o abuso de álcool Foto: RIA Nóvosti

Revista britânica revelou que 25% dos russos morrem antes dos 55 anos, sobretudo por causa do consumo excessivo de álcool. Programa federal pretende reduzir o consumo pela metade até 2020, bem como erradicar a produção e venda ilegal de bebidas alcoólicas.

Um novo relatório detalhando o efeito devastador da vodca na expectativa de vida dos homens russos foi publicado na semana passada, quando o país celebrava o 149º aniversário da invenção da bebida.

O estudo publicado na última sexta-feira (31) pela revista médica britânica “The Lancet” revelou que 25% dos russos morrem antes dos 55 anos. No Reino Unido, esse índice é de apenas 7%.

De acordo com o estudo, muitas dessas mortes são atribuídas à tradicional devoção russa por bebidas alcoólicas. A expectativa de vida média para homens na Rússia é de 64 anos, em comparação a 78,5 para os britânicos.

O estudo, conduzido por uma equipe de pesquisadores russos e britânicos, revela que os homens fumantes na Rússia que bebem três ou mais garrafas de meio litro de vodca por semana têm o dobro de risco de morrer em comparação com aqueles que consomem menos de meio litro por semana.

“É a combinação do volume total e as farras eventuais que explica o nível elevado e as tendências flutuantes da mortalidade geral e atribuída ao álcool na Rússia”, diz Jurgen Rehm, médico do Centro para Dependência e Saúde Mental de Toronto.

O governo russo lançou uma cruzada contra o abuso de álcool, descrevendo-o como um “desastre nacional”. O objetivo é reduzir o consumo pela metade até 2020, bem como erradicar a produção e venda ilegal de bebidas alcoólicas.

Devido às reformas propostas, o consumo de bebidas caiu em um terço desde 2006, assim como o risco de morte antes dos 55 anos, segundo o estudo da “Lancet”.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News 

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.