Para garantir boas notas, estudantes russos dormem com livro embaixo do travesseiro

Depois de passar em todos os exames, o aluno pode finalmente relaxar e fazer uma fogueira com os cadernos e anotações de todas as disciplinas passadas Foto: ITAR-TASS

Depois de passar em todos os exames, o aluno pode finalmente relaxar e fazer uma fogueira com os cadernos e anotações de todas as disciplinas passadas Foto: ITAR-TASS

Gazeta Russa compilou uma lista com as tradições e superstições mais populares entre os estudantes russos.

O dia 25 de janeiro é considerado o mais importante para os estudantes russos, pois foi nesta data, em 1755, que a imperatriz Elizaveta Petrovna assinou o decreto de criação da Universidade de Moscou. Por coincidência, 25 de janeiro era também dia da mártir Tatiana, que morreu em Roma no século 3, e isso transformou o Dia do Estudante na Rússia no Dia de Santa Tatiana.

Especialmente para lembrar o Dia de Santa Tatiana, elaboramos uma lista com as tradições estudantis mais populares na Rússia.

1. Não lavar o cabelo na véspera do exame, caso contrário "todo o conhecimento sai da cabeça com a água". Esta tradição é um desafio especialmente para as garotas, que inventam os mais variados truques para disfarçar os cabelos sujos: tem quem vá de chapéu para o exame, quem coloque lenço cobrindo a cabeça etc.

Os rapazes também acreditam que terão melhores resultados nos exames se não cortarem o cabelo e não fizerem a barba. Alguns deles andam com a mesma roupa durante toda a época dos exames. No entanto, no final dos exames os estudantes sujos, com barba por fazer, despenteados e vestidos com trapos podem se gabar de seus excelentes conhecimentos.

2. A boa sorte no exame também é garantida pelo toque ritualístico numa das esculturas da estação Praça da Revolução do metrô de Moscou, mais precisamente, no nariz do pastor alemão e no ferrolho do rifle do guarda de fronteira. Se você alguma vez viu esta escultura, terá reparado que tanto o nariz do cachorro como o ferrolho da arma estão dourados e brilhantes de tanto serem esfregados por diversas gerações de estudantes.

3. Dormir com um livro aberto debaixo do travesseiro na véspera do exame também ajuda a fortalecer o conhecimento para o exame. Acredita-se que o conhecimento flui por meio de um canal metafísico para dentro da cabeça do estudante adormecido. Há ainda uma variação dessa tradição, usada antes dos exames de inverno, que é a de enfeitar a árvore de Natal com anotações escolares e não com os enfeites típicos da época.

4. Os alunos mais preguiçosos tentam "pegar de graça" a nota, ou seja, garantir uma nota boa sem ter estudado. Eles tentam pegar a nota no sentido literal da palavra: à meia-noite da véspera do exame eles abre a janela e gritam três vezes “Deixe-se pegar de graça”, ao mesmo tempo em que agitam o boletim escolar no local de registro da futura nota. Nas residências estudantis, este ritual pode se complicar com o fato de os outros estudantes gritarem das janelas vizinhas: “Não vai haver nada de graça”.

5. As aventuras da ‘zatchiôtka’ (como na Rússia é conhecido o boletim escolar) não terminam por aí. Depois de capturada, a nota grátis deve ser trancada a sete chaves para não fugir. Por isso os alunos amarram a ‘zatchiôtka’ com um cordãozinho que só pode ser retirado no exame, pelo professor. Caso contrário, o aluno não vai mais ver a nota grátis. Este ritual pode ser difícil de cumprir, uma vez que alguns professores pedem aos alunos que abram eles próprios a ‘zatchiôtka’ e a deixem aberta em cima da mesa.

6. A ordem de realização dos exames também é muito importante. Por exemplo, de modo algum se recomenda fazer primeiro o exame de Educação Física, pois corre-se o risco de "correr atrás de todos os outros exames". Por isso, o melhor é fazer o exame de Educação Física na segunda chamada.

7. Uma das tradições é conhecida pelo curioso nome de "focinho no mingau". Acredita-se que o café da manhã do dia do exame deve ser obrigatoriamente mingau de aveia com geleia de mirtilo. Nas residências estudantis existes lendas assustadoras de alunos que substituíram, por exemplo, a geleia de mirtilo por framboesa e tiveram nota negativa ou precisaram repetir o exame. Como o nome indica, antes de começar a comer o aluno deve jogar o rosto contra o prato do mingau e, sem se lavar, comer o que resta.

8. O cartão com as perguntas do exame também tem um jeito especial para ser puxado: apenas com a mão esquerda e se apoiando no chão só com o pé direito. O importante é que esses movimentos não sejam notados pelo professor, ou ele poderá pensar que você está só contando com a sorte e não sabe a matéria estudada na sua disciplina.

9. Depois de passar no exame, o aluno sortudo deve "dar cinco" a todos os que estão ainda esperando pela sua vez, para, desse modo, passar a sua sorte aos colegas.

10. Depois de passar em todos os exames, o aluno pode finalmente relaxar e fazer uma fogueira com os cadernos e anotações de todas as disciplinas passadas e saltar por cima do fogo, chamando a sorte a acompanhá-lo na próxima temporada de provas. Vale lembrar que aqueles que gostam de fazer anotações em laptops e iPads não seguem esta tradição.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.