Russas estão tendo filhos mais tarde

O Ministério da Saúde e Desenvolvimento Social da Rússia não tem dados exatos sobre a idade média das mães russas Foto: PhotoXPress

O Ministério da Saúde e Desenvolvimento Social da Rússia não tem dados exatos sobre a idade média das mães russas Foto: PhotoXPress

De acordo com diferentes fontes e estatísticas não oficiais, mulheres na Rússia tem filhos em torno dos 27 anos.

Alberto é um espanhol que tem 40 anos e é casado com uma russa. Os dois têm um filho de dois anos. Quando chega à Rússia acompanhado de sua esposa e de seu filho e vai para o parque infantil, se sente desconfortável porque se vê "demasiado velho".

"Aqui, os pais são muito mais jovens do que na Espanha. Sempre sinto-me muito estranho ao ver alguém de 20 anos andando com o carrinho com sua esposa da mesma idade”, diz Alberto. “Eles são muito mais flexíveis, têm mais energia, mais paciência e, obviamente, vão passar mais tempo com os seus filhos do que eu. É pena que no meu país não há tantos pais jovens", afirma Alberto.

Na Rússia, é normal se tornar mãe aos 22 ou 23 anos. Na União Soviética, uma menina que tinha um bebê depois dos 25 anos caía automaticamente na categoria das "mães mais velhas". Hoje ainda há russas obcecados com a ideia de dar à luz antes dos 30 anos, como Aleksandra, uma advogada de 29 anos que vive na província de Moscou que está com casamento marcado.

"Todas as minhas amigas, minhas primas e irmãs são casados e têm filhos. Sempre me perguntam: o que você está esperando? Eu não posso perder mais tempo, tenho quase 30 anos. Se o casamento não for bem sucedido, pelo menos eu vou ter o meu bebê", diz Aleksandra.

Mas a situação está mudando, e o número das mulheres como Aleksandra está diminuindo. A Rússia está se tornando cada vez mais parecida com os países europeus, e a idade da maternidade está aumentando.

De acordo com os dados mais recentes do Instituto de Demografia da Escola Superior de Economia, a idade média das novas mães na Europa é de 28,8 anos; na América do Norte é de 28,4 e na América do Sul, de 27.

O Ministério da Saúde e Desenvolvimento Social da Rússia não tem dados exatos sobre a idade média das mães russas, mas, de acordo com diferentes fontes e estatísticas não oficiais, o número é de cerca de 27 anos. Em Moscou, meninas têm bebês entre 23 e 28 anos, mas no interior da Rússia as mães são ainda mais jovens.

Fertilidade

A baixa taxa de fertilidade também se tornou um problema sério em todos os países da Europa. Em 2003, o número de filhos por mulher na Rússia caiu até 1,3. Agora, depois de um ligeiro crescimento, é de 1,59  A média europeia é de 1,6 –nos países do sul (Espanha, Portugal, Grécia) é de 1,4. Na Europa Central esse número é ainda mais baixo. A França, a Irlanda e os países nórdicos têm uma taxa de nascimento relativamente alta (2,01-2,07).

O governo russo está preocupado com a crise demográfica e lançou vários projetos para melhorar a situação. A iniciativa mais importante é chamada "capital da mãe". É um certificado de 365 mil rublos (cerca de US$ 11 mil) que as mães recebem depois do nascimento de um segundo ou terceiro filho. Esse dinheiro pode ser investido em uma hipoteca, na educação de uma das crianças ou na pensão da mãe. De acordo com os especialistas, o aumento da taxa de natalidade durante os últimos dois a três anos está ligado a esse subsídio, que é usado principalmente para pagar os empréstimos hipotecários.

No entanto, essa medida não é implementada com a facilidade que todas as mulheres desejariam. Na verdade, é impossível obter todo o dinheiro em efetivo.

A falta de recursos econômicos, as dificuldades de conciliar o trabalho com a vida familiar, as listas de espera na creche e outras questões que as mães enfrentam diariamente são as principais razões pelas quais as mulheres russas têm pouca pressa para dar à luz.

Boas perspectivas

As previsões do Ministério da Saúde e Desenvolvimento Social da Rússia são bastante otimistas em relação às perspectivas demográficas no país. De acordo com o Ministério, a taxa de natalidade crescerá significativamente até 2016.

Na Rússia, as mães têm 140 dias de licença maternidade com 100% do seu salário, que não pode exceder 36.563 rublos (cerca de US$ 1.100). Ao longo de 18 meses se paga os 40% do salário da mãe, mas a soma não deve exceder 13.838 rublos por mês (cerca de US$ 400). A principal vantagem das mães russas é que elas podem estar em licença de maternidade por até três anos sem perder o emprego.

No Brasil, a mulher que deu à luz tem o direito de receber uma licença maternidade remunerada de 120 dias.

No Reino Unido, a duração total da licença maternidade pode chegar a 40 semanas, das quais apenas 18 são remunerados. O salário é de 90% de seus ingressos semanais médios durante as seis primeiras semanas.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.