Russos indiferentes à libertação de Khodorkóvski, aponta pesquisa

Khodorkóvski seguiu para Berlim após ser beneficiado por anistia Foto: Reuters

Khodorkóvski seguiu para Berlim após ser beneficiado por anistia Foto: Reuters

Libertação precoce do ex-chefe da petrolífera Yukos, Mikhail Khodorkóvski, foi um acontecimento insignificante para a maioria dos russos. Nível de apoio ao magnata perdoado continua baixo.

A liberdade antecipada concedida a Khodorkóvski deixou 41% dos russos indiferentes, declarou a Fundação de Opinião Pública em seu site.

Entre os respondentes, apenas 7% esperam que a libertação do empresário tenha consequências positivas para o país. Paralelamente, 41% dos russos responderam que eram indiferentes ao ocorrido.

“Em geral, a libertação de Khodorkóvski passou praticamente despercebida. A maioria dos russos consideram que o acontecimento seja de pouca importância para a Rússia e para o mundo”, diz Leonid Poliakov, vice-reitor do departamento de estudos políticos da Escola Superior de Economia.

Segundo Poliakov, a pesquisa havia demonstrado que Khodorkóvski tem um grupo restrito de seguidores que viram um grande significado em sua libertação. “Em uma escala nacional, são aqueles chamados de classe criativa e os moradores de megalópoles”, ressalta o especialista.

A Fundação de Opinião Pública entrevistou 1.500 pessoas em 100 cidades do país em dezembro de 2013. A margem de erro não excede 3,6%

 

Publicado originalmente pela agência ITAR-TASS

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.