Quanto custa uma festa de Ano-Novo de empresa?

Este ano, de acordo com os gerentes de eventos, muitos haviam decidido assumir uma postura mais econômica em relação ao feriado, mesmo antes das observações do presidente Foto: Getty Images/Fotobank

Este ano, de acordo com os gerentes de eventos, muitos haviam decidido assumir uma postura mais econômica em relação ao feriado, mesmo antes das observações do presidente Foto: Getty Images/Fotobank

Uma das principais tradições de Ano-Novo na Rússia é a realização de festas pelas empresas. Elas são celebradas todos os anos em grande estilo: centenas de milhares de dólares são gastos. Mas essa tradição mudou em 2013 após Pútin pedir moderação nos gastos.

Especialistas afirmam que uma festa de Ano-Novo de empresa é a forma de encerramento do ano obrigatória para 75% dos empregadores na Rússia. Isso inclui tanto as organizações russas quanto os escritórios de representação das empresas ocidentais. Uma brilhante festa para algumas centenas de pessoas deve não só unir a equipe de colaboradores mas também demonstrar claramente o quanto os negócios estão indo bem.

Enquanto as empresas privadas preferem não divulgar o seu orçamento para os eventos empresariais, as instituições do governo não primam pelo sigilo. As requisições para a realização dos eventos festivos são postadas na internet.

Este ano, de acordo com a apreciação dos analistas do site Por Aquisições Honestas, as subsidiárias das grandes empresas estatais estavam dispostas a gastar entre US$ 600 mil e US$ 1,5 milhões. O recordista seria o Sberbank, o maior banco estatal russo. De acordo com a Frente Popular da Rússia (uma coalizão de organizações políticas criada em 2011), o banco postou no site de contratação pública uma requisição de US$ 1,9 milhão para três festas corporativas.

Quanto custa uma festa:

Locação do local – no centro de Moscou, em dezembro – a partir de US$ 30 mil.

Alimentos, bebidas e serviço – de US$ 240 a US$ 300 por pessoa.

Programa com show – pop stars nacionais – de US$ 140 mil a US$ 280.

Grupos de jovens – US$ 27 mil, em média.

A gigante de telecomunicações Rostelecom também comemoraria o Ano-Novo em grande estilo. Pretendia gastar mais de US$ 1 milhão em um banquete para 1.700 colaboradores.

Mas os gastos milionários atraíram a atenção do chefe de Estado, Vladímir Pútin.

“É um tema um tanto estranho este das empresas gastaram muito ou pouco com as festas corporativas. Que gastem o quanto desejarem”, declarou o presidente da Federação Russa.  “Mas cada um deve contribuir do próprio bolso.”

As maiores empresas estatais resolveram cancelar suas festas após a fala do presidente. As primeiras a desistir das festas corporativas foram justamente as recordistas de orçamento: o Sberbank e a Rostelecom. A companhia Ferrovias Russas, que estava disposta a gastar US$ 1,6 milhão, também desistiu. A empresa monopolista estatal Correio da Rússia, a gigante industrial Rustech e a empresa de aeronáutica russa UAC (United Aircraft Corporation) também alteraram os seus planos.  As empresas estatais ou desistiram totalmente da festa ou propuseram aos colaboradores que celebrassem o Ano-Novo por sua própria conta.

Mas nem todos desistiram. O Banco de Moscou destinou US$ 576 mil para a sua festa, acompanhada de estrelas populares, quatro orquestras e uma enorme quantidade de efeitos especiais. Neve artificial, efeitos de fumaça e show de laser constam do programa. Os especialistas da Frente Popular da Rússia identificaram 30 empresas estatais que, no computo geral, pretendiam gastar US$ 10,9 milhões com as festas corporativas.

A Rosoboronexport (empresa que intermedia a importação e a exportação de produtos finais, tecnologias e serviços militares) irá celebrar o Ano-Novo com brio gastronômico. A corporação estatal irá gastar US$ 762 mil apenas em bebidas alcóolicas e antepastos. Foram encomendadas por US$ 1.900 algumas garrafas de um conhaque sofisticado servido em um jarro decorado com ouro de 24 quilates.

Gravado na memória

Nas festas também são apreciados programas que incluem bons shows.

Este ano, a Gazprom decidiu comemorar sem excessos, mas de maneira brilhante. O evento foi realizado no próprio escritório central. A festa foi em estilo indiano. Assim, foi estabelecido um código de vestimenta para os convidados. Os atributos obrigatórios para as mulheres eram os ornamentos brilhantes e o sári e, para os homens, o turbante.

Em 2009, o Sberbank havia organizadado uma festa temática. Em um salão alugado foi montada uma arena de circo. Abrindo a celebração, German, o presidente do banco, surgiu na arena montado em um cavalo, usando um traje de hussardo (classe da cavalaria ligeira existente em vários países da Europa e que teve grande importância na estratégia militar nos séculos 18 e 19).

Em 2012, a organização comercial usou o tema “circo”. Assim, a Kasperski Lab (empresa russa produtora de softwares de segurança para a Internet) organizou um show no estilo das apresentações do Cirque du Soleil.

Economia

Aliás, este ano, de acordo com os gerentes de eventos, muitos haviam decidido assumir uma postura mais econômica em relação ao feriado, mesmo antes das observações do presidente.

“Este ano se delineou uma tendência de redução dos orçamentos. Até mesmo grandes empresas que parecem ter um interesse direto em uma motivação não financeira do seu pessoal estão economizando nas festas corporativas", disse Olga Vepretskaia, diretora geral da Agência Smart & Motion. Segundo a sua avaliação, uma em cada três empresas está propondo orçamentos 40% mais baixos do que no ano passado. Tanto as organizações russas quanto os escritórios de representação estrangeiros estão fazendo economia.

"Por exemplo, se no ano passado, uma empresa havia realizado a sua festa em um clube caro, organizando-a no estilo Gatsby, o que implica um grande gasto com assessores, mas neste ano está buscando locais que podem ser negociados em termos de permutas parciais”, explica Vepretskaia.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.