Loja de brinquedo é acusada de promover “comportamento homossexual”

“Fanty” viola a lei russa que criminaliza a promoção de “relações sexuais não tradicionais” Foto: firstmagazin.ru

“Fanty” viola a lei russa que criminaliza a promoção de “relações sexuais não tradicionais” Foto: firstmagazin.ru

Jogo vendido em rede infantil estaria instruindo jogadores a agir de forma sedutora em relação a membros do mesmo sexo. Moradores de cidade no sul da Rússia alegam que brincadeira viola os princípios da polêmica “lei antigay”.

Uma rede de lojas de brinquedo na Rússia está sob investigação por comercializar um jogo que supostamente promove o comportamento homossexual.

O jogo, chamado “Fanty”, viola a lei russa que criminaliza a promoção de “relações sexuais não tradicionais”, ao instruir os jogadores a agir de forma sedutora em relação a membros do mesmo sexo como em um filme erótico, informou um comitê de pais de Stavropol, no sul da Rússia.

A rede de lojas de brinquedos Katiucha, onde o jogo é indicado para crianças de 12 anos ou mais, será informada dos resultados da investigação daqui a 30 dias, segundo a promotoria local.

A lei, cujos autores dizem proteger as crianças de influências nocivas, tem sido repetidamente massacrada na Rússia e no exterior por seu teor discriminatório.

Ativistas de direitos humanos sugerirem até um boicote aos próximos Jogos Olímpicos de Inverno, em Sôtchi, por causa das condições impostas à comunidade LGBT.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.