Rapper favorito de Pútin é detido por agressão

Em 2009, Jigan venceu o mais popular show de hip-hop do país Foto: vk.com/romaonline

Em 2009, Jigan venceu o mais popular show de hip-hop do país Foto: vk.com/romaonline

Cantor russo que certa vez ganhou prêmio das mãos do presidente é acusado de crime em Moscou. Roma Jigan teria sido escolhido por Pútin como foi "modelo de encrenqueiro e ex-presidiário que conseguiu superar os problemas e seguir carreira de sucesso".

Em comunicado oficial, a polícia informou que Roman Tchumakov, mais conhecido pelo nome artístico Roma Jigan, estava sendo mantido sob custódia por um período de 48 horas, em conexão com um crime que aconteceu no norte de Moscou, em junho passado. Apesar de não conceder mais detalhes, o organismo declarou que a investigação sobre o incidente continua em andamento.

O cantor de 29 anos, que já cumpriu uma pena de três anos e meio por agressão, venceu, em 2009, o mais popular show de hip-hop do país, “Batalha por Respeito”, o que lhe valeu um prêmio das mãos de Pútin, então primeiro-ministro da Rússia.

A imprensa russa alega que Jigan, também filiado ao partido governista Rússia Unida, foi escolhido por Pútin como modelo de encrenqueiro e ex-presidiário que conseguiu superar os problemas e seguir uma carreira de sucesso.

O rapper também esteve envolvido em outra incidente, em julho de 2010. No vídeo que foi parar no YouTube, Jigan e outros participantes atacam brutalmente o gerente de um hotel no sul da cidade de Samara. Todos escaparam da acusação de vandalismo.

Até o momento, Jigan lançou três álbuns de estúdio, que, segundo ele, foram inspirados por sua passagem na prisão. A faixa mais recente do cantor, “Prosti” (“Desculpa”, em russo) foi lançada em setembro passado.

Este é apenas mais um escândalo envolvendo um proeminente cantor russo. No final de outubro, o cantor popular Grigóri Lepsveridze, conhecido nos palcos como Grigóri Leps, foi colocado na lista negra dos Estados Unidos por supostas ligações com o crime organizado.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.