Tropa de Choque de Rostov ganha exército de gêmeos

Presença de irmãos gêmeos nos pelotões pode desorientar o inimigo Foto: RG

Presença de irmãos gêmeos nos pelotões pode desorientar o inimigo Foto: RG

Três pares de irmãos gêmeos foram incorporados a um pelotão no sul da Rússia. Chefia do batalhão está seriamente pensando em criar uma divisão especial formada apenas por gêmeos.

Na cidade de Rostov do Don, localizada no sul da Rússia, surgiu um pelotão policial incomum que conta com três pares de irmãos gêmeos. Apesar de se tratar de uma coincidência, a chefia do batalhão está seriamente pensando em criar uma divisão especial formada apenas por gêmeos.

Gêmeos nas forças russas

No regimento presidencial do Kremlin, por exemplo, os soldados são escolhidos até mesmo pela cor dos olhos – por isso, a preferência é dada aos gêmeos. Porém, na Spetsnaz (Unidade de Operações Especiais), a beleza não é claramente o fator mais importante.

“Inicialmente, não havia nenhum propósito especial em formar um pelotão de gêmeos”, conta o vice-comandante operacional da Omon (espécie de tropa de choque) de Rostov, Roman Vachenko. “Primeiro apareceram os gêmeos Aleksandr e Nikolai Matsin, que têm uma preparação física muito boa. Depois, quase ao mesmo tempo, vieram os irmãos Pokidov e os Sevriukov.”

Durante a fase de treinamento, Vachenko começou a perceber que os gêmeos trabalham de forma mais coesa que os demais colegas. “Eles cresceram juntos, basta um gesto, um olhar, para se entender um ao outro sem palavras”, explica ele. “Individualmente, cada um deles é excelente combatente. Mas gêmeos lutando juntos são uma verdadeira máquina de guerra”, completa.

Inimigo duplicado

A presença de irmãos gêmeos nos pelotões pode desorientar o inimigo. Imagine que, durante uma operação de captura, um dos gêmeos salta pela janela enquanto o segundo entra pela porta adentro – isto será um ataque psicológico e tanto sobre o inimigo. No entanto, durante as operações de ataque os soldados usam sempre máscaras, de modo que a aparência física não faz diferença.

Na Omon de Rostov, cada par de irmãos tem sua especialização. Os robustos Aleksandr e Pável Pokidov, por exemplo, compõem a unidade de choque. Já Aleksandr e NikolaiMatsin são “escaladores”, isto é, conseguem penetrar em locais onde eventuais criminosos se escondem e, em seguida, neutralizá-los ou dar cobertura aos homens da tropa de assalto.

Apesar da proximidade com os familiares, todos os gêmeos garantem que têm uma relação fraternal com qualquer colega de sua unidade. “Mas, pelo irmão, você acaba se preocupando forçosamente mais. E se prontifica a fazer de tudo para não o deixar ficar na mão. Afinal, é sangue do nosso sangue”, diz Nikolai Matsin.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.