Patriotismo caiu 8% desde o primeiro mandato de Pútin

Conceito de patriotismo sofreu mudanças desde os anos 2000 Foto: RIA Nóvosti

Conceito de patriotismo sofreu mudanças desde os anos 2000 Foto: RIA Nóvosti

A proporção de russos que se consideram patriotas diminui 8% desde que o presidente Vladímir Pútin assumiu seu primeiro mandato há 13 anos, de acordo com nova pesquisa divulgada pelo instituto de pesquisas independente Centro Levada.

De acordo com o estudo, 69% dos entrevistados afirmaram ser patriotas na pesquisa realizada em outubro deste ano, contra 77% em 2000. A pesquisa também constatou que a definição de patriotismo pelos russos sofreu algumas mudanças desde a virada do século.

O número de entrevistados que disseram que patriotismo implica em “trabalhar ou agir para o bem do país” caiu de 35% em 2000 para 21% neste ano. Os russos que definiram o conceito como “amor pelo país” se manteve em pouco menos de 60%.

No entanto, a proporção de pessoas que disseram que patriotismo significa considerar o próprio país melhor do que os demais aumentou ligeiramente para 21%, dos 17% em 2000.

O conceito de identidade nacional tem ganhado importância no governo Pútin ao longo dos últimos anos. As autoridades vêm se esforçando para definir uma ideologia pós-soviética em meio a repressão a dissidentes políticos, insatisfação pública generalizada com a corrupção e perda de influência global da Rússia.

No ano passado, Pútin ordenou a criação de uma Diretoria de Projetos Sociais, que, segundo o Kremlin, iria melhorar a educação patriótica e fortalecer os fundamentos morais e espirituais da sociedade russa.

Quase metade dos entrevistados pelo Centro Levada (42%) disseram ter notado um aumento dos discursos de funcionários do governo sobre a necessidade de elevar o patriotismo na Rússia. No entanto, apenas 24% deles perceberam qualquer progresso nessa área.

A pesquisa envolveu cerca de 1.600 entrevistados em 45 regiões do país, e a margem de erro é inferior 3,4%.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.