Terroristas do aeroporto Domodêdovo são condenados à prisão perpétua

Apesar do recente julgamento ter resultado na condenação de quatro envolvidos no atentado, o Comitê de Investigação da Rússia continua a busca pelos mandantes do crime Foto: RIA Nóvosti

Apesar do recente julgamento ter resultado na condenação de quatro envolvidos no atentado, o Comitê de Investigação da Rússia continua a busca pelos mandantes do crime Foto: RIA Nóvosti

Tribunal Regional de Moscou julgou quatro envolvidos na organização do atentado terrorista no aeroporto Domodêdovo, em Moscou, em janeiro de 2011. Comitê de Investigação da Rússia continuará busca pelos mandantes do crime.

Na última segunda-feira (11), o Tribunal Regional de Moscou condenou Islam Iandiev, Ilez Iandiev e Bashir Khamkhoev à prisão perpétua pela participação no atentado terrorista no aeroporto Domodêdovo, em Moscou, em janeiro de 2011. O quarto envolvido na explosão, Ahmed Evloev, recebeu pena de 10 anos de prisão.

Os condenados também terão que pagar as ações civis impetradas pelas vítimas, em um montante que varia de 50 mil a 500 mil rublos (US$ 1.500 a 15.000), dependendo do dano ocasionado.

Os advogados dos réus alegavam a falta de provas concretas durante o longo processo de investigação e pediram que as ações civis impetradas pelas vítimas fossem encaminhadas para uma análise independente. Segundo eles, os responsáveis pelo Domodêdovo deveriam ser chamados para responder na qualidade de terceira parte envolvida.

No dia 24 de janeiro de 2011, o homem-bomba Magomed Evloev entrou na área de desembarque do aeroporto internacional Domodêdovo, em Moscou, e acionou um dispositivo explosivo caseiro. A explosão deixou 37 mortos e 172 feridos.

Apesar do recente julgamento ter resultado na condenação de quatro envolvidos no atentado, o Comitê de Investigação da Rússia (SKR , na sigla em russo) continua a busca pelos mandantes do crime.

“Ficou determinado que o ataque terrorista foi organizado por Doku Umarov, líder da organização criminosa Emirado do Cáucaso, que tinha sob o seu controle uma gangue chefiada por Aslan Biutukaev, a qual preparou Magomed Evloev [irmão de Ahmed Evloev] para a autodetonação”, declarou Vladímir Markin, representante oficial do SKR, citado em comunicado oficial do órgão.

O documento destaca que, ao estabelecer as circunstâncias do ataque terrorista, a investigação tinha como objetivo não apenas a elucidação do crime, mas também a neutralização da gangue que está por trás do atentado.

Durante operação conjunta das forças de segurança em 2011, o acampamento do grupo terrorista, localizado em uma floresta na República da Inguchétia, foi destruído. De acordo com o SKR, depois de terem realizado mais de 600 perícias os investigadores, ficou definido o papel de cada um dos quatro acusados de organizar o atentado terrorista.

 

Publicado originalmente pelo newsru.com

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.