Russos a favor de transformar Ártico em zona neutra, aponta pesquisa

Pútin rejeitou a proposta de acadêmico russo de entregar Ártico a um organismo internacional Foto: strana.ru

Pútin rejeitou a proposta de acadêmico russo de entregar Ártico a um organismo internacional Foto: strana.ru

Quase metade dos entrevistados pela Fundação de Opinião Pública consideram “inadmissível” a exploração de recursos na região.

Enquanto a Rússia se prepara para suas próximas iniciativas de extração de recursos energéticos no Ártico, uma pesquisa da Fundação de Opinião Pública mostrou que 69% dos russos são a favor de tornar a região uma zona neutra fora do alcance de Estados soberanos.

Quarenta e dois por cento dos 1.500 entrevistados de várias cidades russas disseram que a extração de recursos naturais no Ártico é inadmissível, e um pouco menos do que 45% defendem a exploração.

Dezessete por cento dos entrevistados da pesquisa conduzida pelo órgão apoiado pelo Kremlin afirmaram que a região do Ártico deve ser dividida entre os Estados.

Serguêi Medvedev, acadêmico da Escola Superior de Economia de Moscou, havia propostos a entrega da região a um organismo internacional. Quando o plano foi levado ao conhecimento de Vladímir Pútin em uma reunião fechada no início de outubro, o presidente russo teria lhe chamado de “tolo”.

Enquanto as organizações ambientais podem se favorecer do grande apoio dos russos contra a exploração no Ártico – e sobretudo a exploração por um país em particular –, apenas 1% dos entrevistados mencionaram o protesto do Greenpeace na plataforma de Prirazlomnaia, que resultou na prisão de 30 pessoas, e vem mantendo a Rússia, Gazprom e o Ártico no centro das atenções.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.