Taxa de aprovação de Pútin segue alta, mas confiança no governo cai

Segundo a pesquisa, como político, Pútin tem o respeito de 36% dos russos Foto: Reuters / Vostock Photo

Segundo a pesquisa, como político, Pútin tem o respeito de 36% dos russos Foto: Reuters / Vostock Photo

Indicadores de confiança caíram ligeiramente em comparação com os da época das eleições. Especialistas afirmam que estas oscilações são normais e acreditam que a população considera Pútin um "político experiente".

Segundo dados recentes do Centro Nacional de Pesquisa da Opinião Pública (VTSIOM), a taxa de aprovação do presidente Vladímir Pútin se mantém estável em 62% ao longo das últimas semanas ­–47% dos inquiridos respondeu gostar da experiência política do presidente.

Segundo a pesquisa, como político, Pútin tem o respeito de 36% dos russos; 26% tem esperança no seu governo; 19% tendem a confiar em Pútin e 15% simpatizam com o presidente. Paralelamente, 18% dos entrevistados consideram o chefe de governo um "verdadeiro líder". Já 17% acreditam que Pútin é um homem capaz de pôr ordem na casa. Se comparados com os resultados do ano passado, verifica-se que alguns dos valores sofreram uma ligeira queda.

De acordo com o analista político Vladímir Slatinov, tal queda é inevitável. "O potencial de esperança está praticamente esgotado. As pessoas associam ao presidente não tanto à esperança, mas ao estatuto de uma situação econômica relativamente boa. Ele é detentor de uma situação relativamente aceitável para a população do país. Não é uma questão de os russos acreditarem que ele possa vir a melhorar significativamente a situação, mas sim uma questão de acreditarem que ele não permitirá que ela se deteriore ", diz Slatinov.

"É lógico que com a continuação do governo de Pútin a esperança vá diminuindo, ao mesmo tempo que aumenta o respeito pela sua experiência política", diz o diretor do Instituto Internacional de Perícia Política, Evguéni Mintchenko.

Por sua vez, o diretor-geral do Centro de Informação Política, Aleksêi Mukhin afirma que a queda de alguns indicadores está associada com o pedido de divórcio do chefe do governo. No entanto, ele faz notar que o nível de apoio ao presidente se manteve o mesmo do da altura das eleições.

 

Publicado originalmente pela RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.