Polícia de Moscou vai inspecionar casas de imigrantes todas as sextas-feiras

Imigrantes ilegais têm sido alvo de ataques e protestos em diversas cidades russas Foto: RG

Imigrantes ilegais têm sido alvo de ataques e protestos em diversas cidades russas Foto: RG

Na mais recente iniciativa das autoridades para lutar contra a imigração ilegal, o chefe de polícia de Moscou, Anatóli Iakunin, declarou que a polícia da cidade vai invadir apartamentos supostamente ocupados por imigrantes ilegais semanalmente até o final do ano.

Em reunião na prefeitura na sexta-feira passada (18), Iakunin disse que a polícia vai “realizar uma grande operação de prevenção da criminalidade com o codinome ‘Sinal’ todas as sextas-feiras”.

Na operação, a polícia da cidade trabalhará em conjunto com vigilantes, seguranças particulares e outras organizações de aplicação da lei para invadir apartamentos onde os imigrantes vivem e patrulhar as ruas em busca dos cidadãos que estão ilegalmente no país.

“Cerca de 130 mil apartamentos em Moscou são alugados de maneira ilegal”, disse o prefeito Serguêi Sobiânin durante a reunião. “Até que saibamos quem vive em nossas casas, até que a maior parte deles sejam registrados, sempre haverá problemas sérios com a ordem pública”, continuou o prefeito.

As novas medidas policiais foram desencadeadas por um protesto que contou com mais de mil moradores locais e nacionalistas no bairro de Biriuliovo, na semana passada. Os manifestantes protestaram contra o assassinato de Igor Scherbakov, 25 anos, que teria sido morto a facadas por um imigrante que trabalhava no armazém da região.

Além do limite

Enquanto o governo lança novas medidas anti-imigrantes, os nacionalistas também vêm intensificando suas atividades. Neste fim de semana, a polícia impediu que mais de 120 ativistas, alguns armados com bastões de beisebol, invadissem as residências de imigrantes nos arredores de Moscou.

A iniciativa anunciada por Iakunin, sob a ordem do prefeito Serguêi Sobiânin, foi sumariamente criticada pelas organizações de apoio aos imigrantes na Rússia, alegando que isso vai estimular a xenofobia na sociedade. “Recentemente, as nossas autoridades criaram um curso de xenofobia”, disse Muhammad Amin Madjumder, chefe da Federação de Imigrantes da Rússia.

“A polícia não só realiza ataques, mas levam os nacionalistas consigo, o que é uma tendência muito perigosa”, disse ele, em aparente referência aos numerosos grupos de vigilantes que participam de invasões em residências onde os imigrantes ilegais supostamente vivem.

O líder da oposição Aleksêi Naválni também ridicularizou a proposta. Paralelamente, alguns observadores acusaram as autoridades de incentivar sentimento anti-imigração na tentativa de redirecionar o descontentamento popular com as políticas públicas.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.