Extremismo em partidas de futebol preocupa polícia russa

Gritos racistas são frequentemente ouvidos em jogos na Rússia, Ucrânia e outros países da região Foto: RG

Gritos racistas são frequentemente ouvidos em jogos na Rússia, Ucrânia e outros países da região Foto: RG

A polícia russa está preocupada com a habilidade dos grupos “extremistas radicais” de se infiltrar em grupos de torcedores, declarou o ministro do Interior, Vladímir Kolokoltsev, após o episódio envolvendo símbolos pró-nazistas durante as eliminatórias da Copa do Mundo, na Ucrânia.

No início deste mês, a Ucrânia venceu o San Marino por 9 a 0 em casa, uma partida que levou à investigação da FIFA sobre os relatos de bandeiras nazistas e gritos racistas por parte dos torcedores ucranianos.

Porém, gritos racistas são frequentemente ouvidos em jogos na Rússia, Ucrânia e outros países da região, e o problema veio à tona no ano passado, quando um grande grupo de torcedores do clube russo Zenit, de São Petersburgo, publicou um manifesto exigindo a equipe não tivesse jogadores negros ou gays.

“Hoje em dia, grande preocupação são as tentativas de grupos extremistas radicais de se infiltrar no ambiente saudável dos torcedores e usar suas habilidades para seus interesses fora da lei”, disse Kolokoltsev em uma reunião com o seu homólogo ucraniano Vitáli Zakhártchenko.

“Além disso, é preciso lembrar que nos últimos anos as atividades de várias organizações terroristas internacionais têm se intensificado”, acrescentou ele, ao reforçar que foco deve ser em “medidas preventivas” por parte da polícia.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.