"Literatura russa é a melhor educação para as crianças", diz ouvidor

Astakhov: "Eu me oponho a qualquer tipo de educação sexual" Foto: ITAR-TASS

Astakhov: "Eu me oponho a qualquer tipo de educação sexual" Foto: ITAR-TASS

Ouvidor para os direitos das crianças manifestou na semana passada sua oposição a aulas de educação sexual nas escolas, acrescentando que a leitura de literatura russa era a melhor maneira de informar as crianças sobre as relações sexuais.

Em entrevista ao canal de TV Rossiia-24, o ouvidor Pável Astakhov disse que "a melhor educação sexual é a literatura russa e literatura em geral. As crianças devem ler mais, e [literatura] tem tudo com amor e relações entre os sexos. As escolas devem ensinar as crianças os valores de castidade e família".

A educação sexual para crianças em idade escolar, segundo Astakhov, deveria ser proibida porque tais informações, se ensinadas de forma inadequada, podem ter um impacto negativo sobre a saúde e física de uma criança, tornando-a mais vulnerável a crimes sexuais. 

"Eu me oponho a qualquer tipo de educação sexual", disse ele. "Tais atividades deveriam ser proibidas conforme a lei que garante os direitos básicos das crianças [...] e em consonância com a lei que proteção as crianças de informações nocivas".

Como alternativa, Astakhov sugeriu aulas de ética da família e saúde reprodutiva, como as matérias que eram ensinadas aos adolescentes na União Soviética.

"Uma vez por mês, uma pessoa vinha até nós e falava sobre saúde reprodutiva e a diferença entre meninos e meninas. Isso não vai fazer mal nenhum, mas apenas a partir dos 15 ou 16 anos", disse.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.