Uso de remédios caseiros persiste na Rússia

Grande parte dos russos ainda dá preferência a técnicas antigas para o tratamento de algumas doenças Foto: PhotoXpress

Grande parte dos russos ainda dá preferência a técnicas antigas para o tratamento de algumas doenças Foto: PhotoXpress

Muitos russos ainda dão preferência a técnicas antigas para o tratamento de algumas doenças.

Mesmo com os avanços da medicina moderna, grande parte dos russos ainda dá preferência a técnicas antigas para o tratamento de algumas doenças. A equipe da Gazeta Russa selecionou as práticas médicas caseiras mais usadas no país e perguntou a um especialista por que os russos não confiam na medicina convencional. 

De acordo com dados científicos mais recentes, as propriedades medicinais de plantas eram conhecidas pela humanidade ainda em 6.000 a.C. e amplamente usadas para o tratamento de resfriados e doenças infecciosas. Na Rússia antiga, magos e curandeiros eram muito respeitados como pessoas familiarizadas com plantas medicinais e suas aplicações na cura de doenças. No século 11, conhecimentos e práticas médicos passam a se concentrar em mosteiros, que viram verdadeiros centros de cura e fitoterapia.

Tosse e infecções de garganta

Triture oito grandes dentes de alho em um almofariz até obter uma massa homogênea e uniforme. Acrescente oito colheres de chá de vinagre, mexa bem e deixe na geladeira durante a noite. De manhã, acrescente duas colheres de sopa de mel escuro aquecido e misture bem a massa obtida. Em caso de tosse ou dores de garganta, segure em sua boca duas colheres de chá da mistura até se dissolver. Em seguida, engula em pequenos goles.

Amacie ligeiramente folhas de repolho com um martelo de cozinha, aplique-as ao pescoço e enrole no pescoço um cachecol ou um lenço quente. Troque as folhas de duas em duas horas. Ajuda a fazer parar os processos inflamatórios na garganta.

Em caso de fadiga

Misture 500 gramas de miolo de noz moído com 300 gramas de mel, 100 ml de suco de aloe e suco espremido de três ou quatro limões. Tome uma colher de chá da mistura três vezes ao dia meia hora antes das refeições. Derrame 200 ml de água fervente sobre uma colher de sopa de manjericão e deixe a massa em um recipiente fechado por 20 minutos. Tome o chá com mel duas vezes por dia.

Dores de cabeça

Coloque 50 ml de leite sobre dez dentes de alho cortados e leve a mistura ao fogo até ferver. Depois, diminua o fogo e cozinhe por mais cinco minutos. Esfrie e coe a infusão. Pingue de três a cinco gotas da infusão em cada ouvido, segure o líquido por um minuto e o retire dos ouvidos inclinando a cabeça.

Despeje 3 colheres de sopa de folhas de urtiga trituradas em 400 ml de água fervente e cozinhe em fogo moderado por três a quatro minutos. Deixe descansar por uma hora, coe e tome meio copo de chá durante o dia.

Histórico

Dentre os mais famosos clérigos da antiguidade especializados no tratamento de doenças constam Serafim de Sarov e Sérgui de Radonej. Este último, de acordo com testemunhos de seus contemporâneos, teve em seu currículo um sem número de curas milagrosas. Teria, por exemplo, ressuscitado um menino que morreu no colo do pai quando este o levava para o santo para a consulta.

Na antiguidade, a medicina alternativa tinha várias especialidades. A fitoterapia era praticada por curandeiros de ervas enquanto os magos se especializaram em práticas mágicas de cura. As práticas obstétricas eram realizadas por mulheres. Até o início do século 20, havia estabelecimentos de ensino especiais onde práticas obstétricas eram ensinadas na Rússia.

Os curandeiros de ervas existem até hoje e são muito procurados por pessoas de idade. A medicina herbal virou um negócio lucrativo na Rússia, com centros de fitoterapia em muitas cidades do país.

“Hoje em dia, a Rússia está adotando a experiência europeia. Entendemos quão importante é viver um estilo de vida saudável”, disse Natalia Gordeeva, diretora de um centro de fitoterapia. “Fomos várias vezes à Europa para participar de seminários científicos e vimos lojas de ervas medicinais onde os visitantes podem receber uma consulta de especialistas e um medicamento necessário.”

Segundo Natalia, os aditivos biologicamente ativos, populares em todo o mundo, são frequentemente adulterados na Rússia. Em razão disso, muitas pessoas têm medo de comprá-los. "Eles custam muito caro, de 500 a 1.500 rublos, em média (cerca de R$35 a R$107), e nem todos podem comprá-los. Por isso, muitas pessoas dão preferência à fitoterapia”, disse Natalia.

Na maioria das vezes, segundo Natalia, os centros de fitoterapia são visitados por mulheres e homens que sofrem de infertilidade e mães com crianças.

“Nosso centro atende a mais de 20 mil pacientes. Temos muitos casos de cura, inclusive engraçados. O mais recente foi de uma paciente com cirrose hepática, uma mulher de idade que vivia de um subsídio de deficiência física por causa de sua doença. Após o tratamento em nosso centro, ela foi ao médico para fazer um exame habitual. Quando o médico lhe disse que ela estava perfeitamente saudável, ela chorou. ‘Por que a senhora está chorando?’, perguntou o médico. ‘Por que não vou receber mais meu subsídio de doença’, disse a mulher”, contou Natalia.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.