Ministério da Educação desenvolve rede social para professores

Troca de experiências e metodologias deve beneficiar não só os professores, mas também os alunos Foto: Kommersant

Troca de experiências e metodologias deve beneficiar não só os professores, mas também os alunos Foto: Kommersant

Novo recurso vai facilitar o contato dos educadores com outros profissionais e com o próprio governo.

O Ministério da Educação e Ciência da Rússia planeja lançar em 2014 uma rede social federal para os professores que irá abranger toda a Rússia. O objetivo do projeto é reunir os educadores de todo o país em um ciberespaço para que os professores possam interagir diretamente não só com os colegas, mas também apresentar de maneira operacional as suas propostas para o Ministério.

Na Rússia já existem aproximadamente quarenta associações virtuais dos professores, entre os quais estão a "Comunidade das associações metodológicas" (center.fio.ru), o “Conselho online  dos professores de toda a Rússia” (pedsovet.alledu.ru) e o “Estado-Internet dos professores” (intergu.ru). Mas todos esses projetos não são do governo. Além disso, os fóruns para os educadores que existem atualmente são recursos com acesso livre e a futura rede social terá o acesso restrito aos professores.

- Nenhum grande segredo será discutido ali. Afinal, também existem recursos para profissionais da saúde, nos quais para se registrar é necessário comprovar a sua qualificação profissional, - Andrêi Demidov, co-presidente do sindicato inter-regional dos professores, comenta a iniciativa do Ministério. - Será uma rede social especializada, que não representará interesse para ninguém, além dos professores.

O Ministério da Educação e da Ciência da Rússia planeja lançar em 2014 uma rede social para reunir os educadores de todo o país em um único ciberespaço. Nele, os professores poderão interagir diretamente com os colegas de profissão, além de suas propostas para o ministério.

Na Rússia já existem aproximadamente quarenta associações virtuais de professores, como a “Comunidade das associações metodológicas” (center.fio.ru) e o “Conselho on-line  dos professores de toda a Rússia” (pedsovet.alledu.ru). Porém, nenhum desses projetos está ligado ao governo, e os fóruns atuais têm acesso livre a qualquer pessoa.

“Nenhum grande segredo será discutido ali. Afinal, também existem recursos para profissionais da saúde, nos quais para se registrar é necessário comprovar a sua qualificação profissional”, diz Andrêi Demidov, copresidente do Sindicato Inter-regional dos Professores. “Será uma rede social especializada, que não representará interesse para ninguém, além dos professores.”

Na futura rede social, também está prevista uma biblioteca virtual, com informações sobre as novas normas, exigências e formas de ensino, em conformidade com a nova lei “Sobre a educação”. Além disso, os educadores terão acesso às novidades da literatura na área da metodologia e auxílio para formulação de programas educacionais.

“É uma boa iniciativa, e eu a apoio. Atualmente, muitos professores de universidades, escolas e jardins de infância estão interagindo em diferentes fóruns, trocando experiências, discutindo as futuras alterações na legislação”, comenta Demidov. “Mas existe a necessidade de um espaço informativo completo e um recurso para os professores expressarem suas opiniões junto ao Ministério da Educação e da Ciência”, acrescenta o copresidente do sindicato.

A troca de experiências e metodologias deve beneficiar não só os professores, mas também os alunos. “Sem dúvida, qualquer ferramenta que simplifica a vida do professor é útil”, afirma Anatóli Aleksandrov, reitor da Universidade Técnica Estatal Bauman de Moscou. “Mas vamos ver como as coisas vão funcionar na prática.”

 

Publicado originalmente pelo Izvéstia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.