Mais de 70% dos russos não conhecem alguém que gostaria de emigrar

De acordo com aqueles que têm conhecidos que gostariam de mudar para o exterior, tais sentimentos estão relacionados sobretudo  com o desejo de melhorar as condições de vida Foto: Vostock Photo

De acordo com aqueles que têm conhecidos que gostariam de mudar para o exterior, tais sentimentos estão relacionados sobretudo com o desejo de melhorar as condições de vida Foto: Vostock Photo

Enquete realizada pelo Centro Nacional de Pesquisas de Opinião Pública (VTsIOM) mostrou que mais de 70% dos russos não possuem, em seu círculo de convivência, pessoas que gostariam de buscar melhores condições no exterior.

De acordo com o estudo do VTsIOM,  um em cada cinco russos acredita que o número de pessoas que estão indo morar no exterior diminuiu (21% dos entrevistados). Mais de um terço (37%) acha que hoje existe o mesmo número que existia antigamente, e 29% dos russos afirmam que o número de emigrantes aumentou.

“Os moradores das duas capitais (28%) e os entrevistados com idades entre 45 e 59 anos de idade (26%) são os mais propensos a notar a redução do número de imigrantes”, relataram os pesquisadores.

“Já os moradores de cidades com uma população de 100 mil a 500 mil pessoas (37%) e os entrevistados com idades de 18 a 24 anos (37%) tendem a responder que o número de imigrantes aumentou”, acrescentaram.

De acordo com aqueles que têm conhecidos que gostariam de mudar para o exterior, tais sentimentos estão relacionados sobretudo  com o desejo de melhorar as condições de vida (54%) e possibilidade de auto-realização (16%).

A pesquisa foi realizada nos dias 13 e 14 de julho, e contou com 1,6 mil entrevistados em 130 localidades da Rússia. A margem de erro é de 3,4%.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.