Cai apoio dos russos aos Jogos Olímpicos e a Copa no país

Estádio de Kazan, cujo gasto atingiu US$ 439,7 milhões, será usado para a Universíada antes de abrigar os jogos da Copa do Mundo de 2018 Foto: Itar-Tass

Estádio de Kazan, cujo gasto atingiu US$ 439,7 milhões, será usado para a Universíada antes de abrigar os jogos da Copa do Mundo de 2018 Foto: Itar-Tass

Se, em junho de 2012, 68% dos russos se orgulhavam de o país ter sido escolhido para receber os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo de futebol, agora o percentual daqueles que ainda se congratulam com isso não ultrapassa 61%.

É cada vez menor o número de russos que se orgulha de o país sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 e a Copa do Mundo, em 2018. Quase metade da população acredita que os fundos liberados para os dois eventos estão sendo aplicados de forma ineficaz. Os dados fazem parte de levantamento do Centro de Estudo de Opinião Pública Levada Center.

No Brasil, os gastos com a Copa e a Olímpiada, que serão realizadas no país em 2014 e 2016, respetivamente, também foram alvos dos recentes protestos em massa em diversas cidades brasileiras.

As autoridades russas estão fazendo o possível para evitar um roteiro semelhante.

Os contratos superfaturados para a construção de instalações olímpicas em Sôtchi foram duramente criticados pelo governo federal e tiveram como consequência estrondosas demissões. Em fevereiro passado, o presidente Vladímir Pútin visitou as obras de instalações olímpicas na cidade e ficou indignado ao saber que o custo do projeto da pista de saltos de esqui havia aumentado de 1,2 bilhões de rublos para 8 bilhões. Como resultado, o responsável pelas obras, Akhmed Bilalov, foi demitido. A procuradoria abriu investigação e revelou inúmeros casos de desvio de fundos.

Mais tarde, em abril deste ano, o Ministério do Interior informou ter revelado o desvio de verbas liberadas para a construção de instalações olímpicas no valor de 45,5 milhões de rublos.

De acordo com os especialistas, se, em junho de 2012, 68% dos russos se orgulhavam de o país ter sido escolhido para receber os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo de futebol, agora o percentual daqueles que ainda se congratulam com isso não ultrapassa 61%. Menos da metade dos entrevistados acredita que as despesas com as Olimpíada e a Copa serão amortizadas (43%, ante 49% em 2011).

Segundo Denis Volkov, do Levada Center, a atitude dos russos para com as Olimpíadas e a Copa foi influenciada pela campanha anticorrupção desencadeada pelo governo e pelas revelações sobre contratos superfaturados em Sôtchi.

“O governo obteve o resultado contrário. Voltada para disciplinar os gastos, a campanha foi acompanhada de escândalos, revelações e demissões e teve intensa cobertura na imprensa, mas gerou pessimismo na sociedade. Todo o mundo está ciente da corrupção nos escalões do poder público, mas suas proporções em Sôtchi são de surpreender”, disse Volkov.

“Além disso, as pessoas estão mais preocupadas com seus problemas cotidianos e com as perspectivas econômicas do país”, completou.

 

Publicado originalmente pela Gazeta.ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.