Como será a Rússia em 2020

43% dos russos acreditam que a Rússia deve se tornar uma “potência grandiosa e próspera” em 2020 Foto: Kommersant

43% dos russos acreditam que a Rússia deve se tornar uma “potência grandiosa e próspera” em 2020 Foto: Kommersant

Quase metade dos russos acredita que país será “grandioso e próspero”, constatou pesquisa do VTsIOM (Centro de Pesquisas de Opinião Pública). Porém, quase um quarto dos cidadãos nunca se deram ao trabalho de pensar sobre o futuro da nação.

De acordo com a mais recente pesquisa do instituto de pesquisa independente VTsIOM, 43% dos russos acreditam que a Rússia se tornará uma “potência grandiosa e próspera” em 2020, e 11% pensam que ela precisa se transformar em um “Estado com alto padrão de vida”.

Enquanto 15% têm certeza que em cinco ou dez anos “a Rússia será uma grande potência, 28% dos russos pensam que a ideia de um Estado forte, que “cuida de seus cidadãos”, será o princípio no futuro.

Somente 8% dos entrevistados pensam que os slogans de “Livre mercado e intervenção mínima do Estado na economia” e as ideias de democracia serão populares em cinco a dez anos. Quase o mesmo número de pessoas (7%) acreditam no slogan “Rússia para os russos”.

O analista político Aleksêi Makarin contesta a ideia de que “as correntes anti-imigração estão mais fortes”, e os termos “democracia” e a “liberdade” não são nada além de palavras para a maioria dos cidadãos. “Para a maioria deles, é impossível prosperar somente por esforços próprios, eles acreditam que a política do governo deve impulsionar o padrão de vida”, explicou o diretor-geral do VTsIOM, Váleri Fedorov.

Segundo eles, os russos têm menos confiança no governo do que em 2005 ou 2007. O diretor do instituto de pesquisa independente relaciona esse fato com a queda no crescimento econômico; os cidadãos são atraídos por uma ideologia que coloca acima de tudo o bem-estar da população e em que o governo tem um papel significativo. “Simplesmente existe uma demanda de um Estado paternalista”, diz o analista político.

De acordo com o VTsIOM, um quarto dos cidadãos (24%) nunca se perguntou como será a Rússia em cinco, dez ou mais anos. Somente 11% das pessoas pensam “constantemente” nisso, e 36%, ocasionalmente.

 

Publicado originalmente pelo Kommersant

 

 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.