Terremoto de 8,2 graus no mar de Okhotsk foi sentido em Moscou

Terremoto foi sentido em algumas áreas às margens do rio Moscou apesar de estar situado a mais de 7.000 km de Okhotsk  Foto: Irina Dalétskaia

Terremoto foi sentido em algumas áreas às margens do rio Moscou apesar de estar situado a mais de 7.000 km de Okhotsk Foto: Irina Dalétskaia

Ministério para Situações de Emergência adiantou que não havia nenhuma ameaça de tsunami nas regiões próximas ao epicentro.

Um terremoto de 7,5 graus na escala Richter ocorreu nesta sexta-feira (24) na cidade de Petropavlovsk-Kamtchatski, centro administrativo da região de Kamtchatka, no Extremo Oriente russo. O epicentro de magnitude de 8,2 aconteceu no mar de Okhotsk, no Oceano Pacífico, a 385 quilômetros de Petropavlovsk-Kamtchatski.

Na cidade, muitas pessoas deixaram suas casas ao perceber o tremor que durou por cerca de cinco minutos. Mesmo assim, o Ministério para Situações de Emergência adiantou que não havia nenhuma ameaça de tsunami nas regiões próximas ao oceano nem registro de feridos ou grandes danos materiais.

“Esses abalos eram frequentes em Kamtchatka durante os anos 1980 e 90”, disse Aleksêi Zavialov, funcionário do Instituto de Física da Terra, em entrevista à agência de notícias RIA Nóvosti.


Exibir mapa ampliado

Diversos internautas escreveram nas redes sociais que também tinham sentido um abalo nas áreas do centro, nordeste e no sudoeste de Moscou. O Ministério de Emergências declarou ter recebido telefonemas de moscovitas relatando tremores nos apartamentos, e alguns prédios chegaram até a ser evacuados.

“Os abalos sísmicos de baixa intensidade sentidos em alguns bairros da capital podem ter sido provocados pelo violento terremoto no mar de Okhotsk”, confirmou à agência Ria Nóvosti a plantonista do Serviço de Geofísica da Academia de Ciências da Rússia.

  

Publicado originalmente pela RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.