Prefeitura da capital veta protesto LGBT neste sábado

Não é a primeira vez que ativistas LGBT enfrentam resistência das autoridades moscovitas Foto: ITAR-TASS

Não é a primeira vez que ativistas LGBT enfrentam resistência das autoridades moscovitas Foto: ITAR-TASS

Autoridades da capital negaram um pedido de ativistas LGBT para realizar o “Protesto Arco-íris” no parque Górki, no centro de Moscou, neste sábado (25), justificando se tratar do dia em que formandos comemoram o término das aulas escolares.

Ativistas LGBT haviam anunciado na página do movimento no Facebook que a manifestação com cerca de 200 pessoas seria realizada em apoio aos direitos dos homossexuais em uma praça ao lado da ponte Krimski, no parque Górki.

Porém, as autoridades municipais informaram que o protesto não poderia acontecer na data proposta. “Esse evento não ocorrerá porque todas as praças serão ocupadas pelos formandos em comemoração ao término das aulas escolares”, informou Aleksêi Maiorov, chefe do departamento segurança regional da prefeitura, citado pela agência de notícias RIA Nóvosti.

No início deste mês, Moscou introduziu zonas apelidadas de “Hyde Park” nos parques Górki e Sokolniki, inspiradas no parque londrino, que abriga uma área onde os cidadãos podem protestar sobre qualquer tópico desde 1872.

Pela nova norma, ao contrário das manifestações realizadas na cidade onde os organizadores têm que obter a permissão da prefeitura, aqueles que desejam promover uma ação nessas zonas só precisam preencher uma solicitação no site do parque.

Segundo Maiorov, o fim das festas escolares significa que a maioria dos dos eventos nos “Hyde Parks” moscovitas não seriam aprovados para o dia 25.

Os ativistas LGBT têm tentado realizar protestos autorizados há algum tempo, mas as autoridades de Moscou recusaram as solicitações apresentadas. Os eventos não autorizados serão dispersados ​​pela polícia, informou a prefeitura.

  

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.