Ursos são baleados depois de atacarem cemitérios

Ursos foram vistos em cemitérios na região de Kamtchatka Foto: flickr / Eugene Kaspersky

Ursos foram vistos em cemitérios na região de Kamtchatka Foto: flickr / Eugene Kaspersky

Autoridades em duas regiões da Rússia informaram que os moradores estavam em “alerta de urso” essa semana e que pelo menos três animais famintos haviam sido mortos por estarem desesperados à procura de comida.

No Extremo Oriente russo, dois ursos foram mortos depois de serem flagrados cavando sepulturas e se alimentando em um cemitério local, declarou a polícia local na terça-feira passada (7).

De acordo com a nota da polícia, os moradores da região russa de Kamtchatka disseram às autoridades que tinham visto três ursos em um cemitério na cidade de Ielizovo, um dos quais estava apanhando um corpo humano.

A polícia inspecionou o local e descobriu que os animais tinham cavado um túmulo mais próximo da estrada e até mesmo destruído um caixão.

Guardas florestais da região mataram dois dos três animais, enquanto a polícia recomendava cautela aos moradores devido à ameaça de ataques por ursos na área.

Os ursos da região ficam especialmente famintos depois de acordar de sua hibernação de inverno e seguem para áreas povoadas em busca de alimento, segundo a polícia.

Os ursos de Kamtchatka, cuja população é de aproximadamente 18 mil em toda a península, são uns dos maiores do mundo. Os machos adultos podem alcançar três metros de comprimento e pesar até 700 kg.

Em outro incidente, um urso faminto foi filmado em Iujno-Sakhalinsk, que é separada da península de Kamtchatka pelo mar de Okhotsk.

Um porta-voz das autoridades florestais de Korsakovski disse à agência de notícias RIA Nóvosti nesta terça-feira que o urso estava perto de uma estrada local “implorando” por comida para os carros que passavam.

A autoridade começou a receber relatos sobre o urso faminto na semana passada e teve que enviar um especialista armado para a rodovia Iujno-Sakhalinsk-Okhotskoie, perto da aldeia de Vestotchka.

“Quando chegamos ao local, vimos passar motoristas alimentando um urso na estrada e posando para fotos perto dele”, disse o porta-voz.

Embora o governo tenha tentado afugentar o animal, disparando tiros de advertência para o ar e com o uso de fogos de artifício, o efeito foi temporário e, no domingo, foi resolvido atirar no animal.

A região de Sakhalin é habitada por cerca de 4.200 ursos, que podem viver até 45 anos.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti e pelo jornal The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.