Universidade siberiana suspende proibição de véu islâmico

Foto: AP

Foto: AP

Universidade Estatal de Medicina de Krasnoiarsk, na Sibéria central, foi obrigada a anular a norma interna que proibia os estudantes de usar peças de roupas que refletissem suas crenças religiosas, incluindo o véu islâmico, informou o gabinete da promotoria regional nesta quarta-feira (18).

A questão foi trazida à tona quando os meios de comunicação locais informaram, em março, que uma aluna havia sido expulsa da universidade por usar o tradicional véu islâmico, conhecido como “hijab”.

Os funcionários da universidade disseram à jovem, que vinha da predominantemente muçulmana República do Daguestão, estaria violando repetidamente o estatuto da universidade. Segundo eles, os estudantes estavam proibidos de usar lenços e outras roupas que “refletissem identidade religiosa” durante as aulas.

Os promotores da região siberiana de Krasnoiarsk já haviam exigido que as normais fossem anuladas por violar o legislação que se refere à educação.

“Tendo em conta a objeção do Ministério Público quanto à proibição de roupas que expressem crenças religiosas de um aluno e à expulsão do estudante, as normas [da universidade] foram adequadas à legislação vigente e a expulsão, revogada”, anunciaram os promotores.

Os funcionários da universidade não se pronunciaram sobre o assunto.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.