Associação quer poste “inclusivo”

Ativistas pedem que postes e luminárias de rua sejam pintados com cores vivas para auxiliar deficientes visuais Foto: RIA Nóvosti

Ativistas pedem que postes e luminárias de rua sejam pintados com cores vivas para auxiliar deficientes visuais Foto: RIA Nóvosti

Moscou tem mais de 15 mil deficientes visuais enfrentando dificuldades devido à falta de cores de objetos de rua, denuncia a associação “Cidade Sem Barreiras”. A entidade pede à prefeitura que pinte com cores mais vivas e contrastantes os objetos do ambiente urbano, tais como pilares, lanternas, cantos de edifícios e meios-fios.

“Para cada 1 milhão de pessoas em Moscou há cerca de 1,6 mil deficientes visuais, com deficiência do grupo um, ou seja, aqueles que não enxergam quase nada”, disse ao jornal russo Izvéstia o vice-presidente da fundação, Serguêi Tchísti.

“O número de deficientes visuais com deficiência dos grupos dois e três, é dez vezes maior. Transitar por Moscou muitas vezes é um problema para essas pessoas pois, para elas, os objetos do ambiente urbano confundem-se”, completa.

Natália Dúshkin, professora do Instituto de Arquitetura de Moscou, acredita que a pintura de luminárias e postes com cores mais vivas, como amarelo, verde ou azul, não irá comprometer o visual arquitetônico da cidade.

“O mais importante é que os elementos de orientação para os transeuntes estejam em harmonia com a gama global de cores, que é característica desta ou daquela rua”, acredita.

Em 2013, as fachadas de mais de 500 prédios no centro da cidade serão pintadas. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.