Dia da Mentira vira pretexto para farpa política

Artista de rua caracterizado de arlequim no Desfile de Palhaços que celebrava o Dia da Mentira Foto: ITAR-TASS

Artista de rua caracterizado de arlequim no Desfile de Palhaços que celebrava o Dia da Mentira Foto: ITAR-TASS

Deputado da Duma lança ideia de proibir consumo de alho no país com o objetivo de criticar leis recentemente aprovadas pelo parlamento. Além da brincadeira com tom irônico, data foi também celebrada com invenções disseminadas na internet.

O Dia da Mentira tomou conta dos mais diversos setores na Rússia. Uma das histórias de destaque neste ano foi contada por Serguêi Ivanov, deputado federal pelo Partido Liberal Democrata da Rússia, que encaminhou para a Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo) um projeto de lei proibindo o consumo de alho em ambientes públicos.

Em nota explicativa, o deputado disse que o alho é amplamente consumido na Rússia (por mais de 40% dos adultos), de modo que o restante da população sofre com as consequências negativas desse hábito.

Por esse motivo, o parlamentar insistiu na proibição do consumo de alho em ambientes sem ventilação, instituições infantis e recintos públicos. A venda de alho também deveria ser proibida, segundo o projeto, a mulheres gravidas ou que estão amamentando, bem como às pessoas do universo artístico e cultural.

Oficialmente registrado na Duma de Estado, o projeto fez lembrar a lei que estabelece ambientes livres de fumo. Mais tarde, o próprio deputado justificou sua iniciativa pelo desejo de pedir à Duma que ficasse mais atenta aos itens em tramitação no parlamento, citando como exemplo uma série de leis draconianas recentemente aprovadas.

Bate-papo furado

As brincadeiras do Dia da Mentira também tomaram conta da internet, jogos de computador e redes sociais. Esse foi o caso da holding da internet Mail.Ru e da Intel, que, em contrapartida ao computador em forma de óculos do Google (Google Glass), anunciaram o lançamento de lentes de contato digitais.

Mentir é natural

A natureza não ficou atrás e pregou sua peça no Dia da Mentira. O dia 1º de abril começou com uma intensa nevasca que raramente acontece até mesmo na época natalina. Mais tarde, o veículo “Russki Reporter” disse que a tal neve era capaz de se manter firme a 10˚C positivos e havia sido inventada por cientistas russos com a intenção de prolongar a temporada de esqui e as brincadeiras com bolas de neve. 

“Trata-se de um software vendido como acessório dos smartphones que possuem processador Intel Atom”, dizia o comunicado conjunto das duas empresas.

Segundo os autores do projeto, as lentes inovadoras seriam capazes de transmitir imagens do smartphone diretamente para a retina. “Se o usuário das lentes olhar por pelo menos 5 segundos para uma pessoa, toda a informação sobre ela contida em suas contas nas redes sociais será transmitida automaticamente para o telefone do usuário das lentes”, continuava o comunicado.

O dispositivo será equipado com um chip de LED, bateria e antena. A exemplo do Google, ambas as empresas publicaram algumas fotos supostamente tiradas com as novas lentes.

A fabricante de antivírus Kaspersky Lab também não deixou a data passar em branco e anunciou ter descoberto o principal sistema cibernético do mundo, chamado Mother-SCADA.

Ao redor do mundo

O dia 1º de abril também foi celebrado com mentiras em outras partes do mundo. A Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (também conhecida como CERN) anunciou a distribuição de partículas elementares, enquanto o Google noticiou o lançamento do “Google Nose”, um serviço capaz de levar cheiros até a tela do computador do usuário. Até mesmo o microblog Twitter divulgou a intenção de tornar seu serviço pago, a não ser que os tuítes fossem redigidos sem vogais.

“Como sabemos pelos estudos dos cientistas norte-americanos, os irmãos Andy Wachowski e Larry Wachowski, o mundo terrestre é uma projeção virtual do mundo real”, escreveu o diretor-geral da empresa, Evguêni Kaspersky, em seu blog. “Conseguimos encontrar o sistema SCADA que dirige os processos tecnológicos da Matriz.”

Em um comunicado especial, o empresário justificou que todas as coisas na Terra, “do gosto de café da manhã ao montante do bônus anual”, dependem do funcionamento desse sistema. Uma vez que a arquitetura do sistema Mother-SCADA não é 100% segura, a Kaspersky Lab estaria planejando a contratação de mais profissionais para o desenvolvimento de proteção ao sistema.

 

Com materiais dos veículos Kommersant e Digit.ru e da agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.