Professor submetia amigo “imortal” a radição

Foto: ITAR-TASS

Foto: ITAR-TASS

Moscovita que fazia experiências em amigo é professor em uma faculdade da capital. Amigo viajava regularmente a Tchernobil para se expor a mais radiação na tentativa de se tornar imortal.

A polícia de Moscou deteve o professor de uma faculdade da capital que mantinha substâncias radioativas em casa e submetia um amigo a radiação.

"O homem [detido] explicou para a polícia ter um amigo que quer se tornar imortal. Para isso, ele o submetia a radiação. O amigo costumava viajar para a zona do acidente nuclear de Tchernobil, para se expor a radiação e se tornar imortal”, informou o porta-voz da agência.

A operação de busca e detenção foi executada pelo MVD (Departamento de Assuntos Internos) de Moscou em conjunto com especialistas do Serviço Federal para Controle de Drogas em Moscou.

"Encontramos seis quilos de substâncias radiotivas no apartamento do detido, na rua Aviátorov, e oito quilos em uma garagem na rua Volinskaia", informou o porta-voz.

No local da busca foram encontrados diversos objetos metálicos e solo radioativo. Todos os ítens radioativos foram recolhidos e depositados em local seguro.

No último domingo (24), o detido foi indiciado pela lei “Por manipulação ilegal de materiais nucleares ou substâncias radioativas” e pode passar até sete anos na prisão.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.