Desenvolvedora russa de softwares de proteção vai cooperar com a Interpol

Kaspersky Lab Foto: Kommersant

Kaspersky Lab Foto: Kommersant

Kaspersky Lab irá fornecer amplo suporte de consultoria para o IGCI (Interpol Global Complex for Innovation) na investigação de crimes cibernéticos.

Visando combater as ameaças cibernéticas em nível mundial, o Kaspersky Lab, desenvolvedora russa de softwares para proteção de computadores, vai atuar ativamente junto a uma divisão especial da Interpol que investiga crimes no domínio das tecnologias de ponta –a IGCI (Interpol Global Complex for Innovation), relatou o serviço de imprensa da empresa.

O acordo foi firmado com a participação do diretor-geral do Kaspersky Lab, Ievguêni Kaspersky, do secretário-geral da Interpol, Ronald Noble, e do diretor executivo do IGCI,  Noboru Nakatani, na sede do Kaspersky Lab, em Moscou.

Em cooperação com a Interpol, a empresa irá fornecer amplo suporte de consultoria para o IGCI na investigação de crimes cibernéticos, bem como enviar seus peritos para o trabalho em um escritório do IGCI, em Cingapura, que será aberto em 2014.

Além disso, a empresa apoiará iniciativas da Interpol para aumentar a experiência de órgãos de aplicação da lei em vários países do mundo no combate às ameaças cibernéticas e cibercriminosos.

“Por muitos anos procurei criar uma chamada Internet-Interpol. Agora, finalmente, isso se tornou uma realidade”, disse Kaspersky, ao final das negociações.

“Estamos participando ativamente na investigação de crimes cibernéticos, fornecendo nossos conhecimentos, tecnologia e recursos para a aplicação da lei em vários países. Agora, os criminosos já não serão capazes de se esconder em um país distante e se encobrir por limites físicos.”

“O  suporte ao IGCI pelo Kaspersky Lab vai ajudar órgãos de aplicação da lei em mais de 190 países, membros da Interpol, a obter as competências necessárias para uma investigação bem sucedida de crimes cibernéticos e proteção do ciberespaço internacional”, disse Noboru Nakatani.

“Os crimes internacionais não podem ser combatidos individualmente. Eis porque o conhecimento de especialistas e a sua ajuda são tão importantes para o nosso trabalho. Estou convencido de que, para a obtenção do sucesso no descobrimento e prevenção de crimes cibernéticos, os órgãos nacionais e internacionais de aplicação da lei devem trabalhar em colaboração com especialistas reconhecidos no campo da segurança da informação, um dos quais é, sem dúvida, o Laboratório Kaspersky”, enfatizou Ronald Noble.

Publicado originalmente pela agência ITAR-TASS

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.