Autoridades planejam lançar canal de TV russo no Brasil

Foto: Alex Solnik

Foto: Alex Solnik

Em reunião no Consulado-geral da Rússia em São Paulo, representantes do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo apresentaram medidas para disseminar a cultura nacional em diversos países, incluindo o Brasil. Entre elas, está a abertura de centros de culturais e científicos, bem como um canal de televisão.

A visita do primeiro-ministro russo, Dmítri Medvedev, ao Brasil, em fevereiro passado, está produzindo resultados mais rápidos do que se podia esperar.

Alguns deles foram revelados pelo cônsul-geral da Federação Russa em São Paulo, Mikhail Troiánski, durante uma reunião realizada na manhã de sábado passado (15),

O encontro contou com a presença do diretor do departamento de Assuntos de Compatriotas do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Anatóli Makarov, e seu vice, Serguêi Nikolaev, e dos líderes das comunidades russas de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná e Pernambuco.

“Uma das iniciativas que já está em andamento é a criação de um projeto conjunto entre a empresa brasileira Mineral Star e a russa M.A.S.T. na elaboração e extração de minérios raros na Bahia”, disse Troiánski.

Makarov também divulgou algumas novidades da política externa russa que têm como objetivo expandir a influência russa em duas frentes, idioma e mídia.

“[O presidente russo Vladímir] Pútin enviou um comunicado ao parlamento no qual enfatiza a importância de divulgar a língua russa pelo mundo”, anunciou Makarov.

Atualmente, existe apenas uma escola em São Paulo que oferece curso de russo e está localizada na Vila Zelina, onde se concentra grande parte da colônia russa da cidade. 

Outra tarefa importante assumida pelo ministério é a criação de uma rede de telecomunicações capaz de transmitir canais de TV russos em vários países, inclusive no Brasil.

Segundo Makarov, Pútin ordenou a criação de um fundo especial que vai cuidar da expansão da imprensa russa no mundo a fim de “vencer a batalha da informação”. Isso porque as notícias da Rússia geralmente chegam ao Brasil via Estados Unidos, e não diretamente de Moscou, como funcionava nos tempos da União Soviética.

Um canal russo faz falta não só aos compatriotas, mas também serve como um apoio cultural e comercial, acreditam os diplomatas.

“Além disso, está em tramitação no parlamento um projeto de um acordo bilateral para a abertura de centros de cultura e ciência russa no Brasil”, finalizou Makarov. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.