Carnaval russo traz festival de panquecas

As panquecas simbolizam o sol da primavera, que se torna mais quente e brilhante a cada dia. Foto: Lori / Legion Media

As panquecas simbolizam o sol da primavera, que se torna mais quente e brilhante a cada dia. Foto: Lori / Legion Media

Ao longo deste semana, país abriga comemorações do fim do inverno e uma das mais populares celebrações ortodoxas. Mas engana-se quem confundir o carnaval russo com a versão brasileira. Em vez de de mulheres seminuas e samba no pé, celebração russa é marcada por comilança e bebidas à base de vodca.

Nesta semana, a Rússia celebra uma das festas mais populares do país, Maslenitsa (Entrudo em português), que simboliza o adeus ao inverno e remonta aos tempos pagãos, quando se tratava de um culto à fertilidade e aos ancestrais.

Mantida após a conversão da Rússia ao cristianismo, a festa acabou sendo incluída no calendário ortodoxo como a última semana antes de iniciar a Quaresma. Nem mesmo os comunistas conseguiram vencer a Maslenitsa, embora tenham mudado seu nome para Festa de Fim do Inverno. Mas o que durante um festival de uma semana inteira quando lá fora está nevando e faz frio?

Certamente, fazer e receber visitas, além de comer e beber em abundância. A palavra Maslenitsa deriva de “maslo”, que significa manteiga em português, em referências às tradicionais panquecas, um elemento fundamental dessa celebração.

Há mais de uma centena de receitas de panquecas na Rússia. Elas podem ser feitas com massa azeda, sem fermento nem ovos, ou com massa de centeio e trigo sarracena; além disso, são servidas empilhadas uma em cima da outra ou enroladas com recheios doces ou salgados.

Entretanto, por maior que seja a variedade de receitas, dois ingredientes estão sempre presentes: a manteiga derretida e o sour cream (um tipo de coalhada fresca), usado como molho em um monte de pratos típicos russos, incluindo sopas.

Quando as panquecas são recheadas, seu conteúdo só depende da imaginação do dono de casa, embora o caviar e peixe sejam sempre bem-vindos. Entre os peixes, a preferência é dada ao arenque salgado, esturjão, salmão, sardinhas e espadilha defumados. Os cogumelos, queijo e trigo sarracena também excelentes opções de recheios.

Os ateus gostam de colocar ainda língua bovina e outros derivados de carne. As panquecas com geleia ou mel, de preferência feito com as flores de tília, são servidas como sobremesa.

Na época tsarista, as panquecas (com diâmetro de 20 a 30 cm) eram servidas aos montes para os convidados, que participavam, inclusive, de torneios para conferir quem conseguia comer mais panquecas. Alguns campeões eram capazes de consumir entre 200 e 300 panquecas de uma só vez.

Os pratos eram geralmente acompanhados por diversas bebidas alcoólicas à base de vodca, e todas as casas respeitáveis tinham bebidas caseiras para cada letra do alfabeto. Por esse motivo, durante a semana da Maslenitsa, a polícia era muito mais tolerante para com os bêbados do que o habitual.

O carnaval russo também tomava as ruas das cidades, com passeios de trenó puxados por três cavalos e a queima do boneco do Entrudo. Outra brincadeira interessante envolvia o ataque a uma fortaleza de neve. A atividade, proibida pelo regime soviético e inexistente desde então, pressupunha a disputa entre dois equipes pela defesa de uma fortaleza construída na neve. A ideia era descarregar as emoções acumuladas durante o severo e longo inverno russo.

“Panqueca soviética”

A proibição da brincadeira na neve não é o único resquício da época soviética. A Gazeta Russa selecionou também uma receita de panqueca inexistente na Rússia tsarista:

1. Misture 0,5 litro de leite ligeiramente aquecido e 0,5 litro de cerveja (lager ou escura, se a intenção for fazer panquecas doces).

2. Mexa sem parar e despeje dois copos de farinha de trigo peneirada ou 1,5 copo de farinha de centeio.

3. Bata bem a massa e adicione 1 ou 2 ovos, 2 colheres de sopa de óleo vegetal ou manteiga derretida, 1 colher de sopa de açúcar ou mel claro, uma colher de chá de sal e, pouco antes de cozinhar, meia colher de chá de bicarbonato de sódio.

4. Quanto mais líquida for a massa, mas finas serão panquecas.

5. As panquecas são feitas em uma frigideira de ferro fundido aquecida e untada com manteiga. Elas devem ser empilhadas conforme forem ficando prontas. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.