Ministério da Defesa quer usar ratos na detecção de explosivos e drogas

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Testes estão marcados para a primavera deste ano, disse uma fonte do Estado-Maior em entrevista ao jornal “Izvéstia”, especificando que eles serão realizados no interesse dos serviços secretos.

O Departamento Geral de Informações Militares (GRU, na sigla em russo) do Estado-Maior das Forças Armadas russas pretende testar em um cenário real ratos treinados para localizar drogas e explosivos.

Os testes estão marcados para a primavera deste ano, disse uma fonte do Estado-Maior em entrevista ao jornal “Izvéstia”, especificando que eles serão realizados no interesse dos serviços secretos.

"Os ratos devem substituir os cachorros na detecção de materiais explosivos, munições, drogas e na busca de pessoas em locais fechados e refúgios. Enquanto o GRU está mais interessado em testar novos ‘agentes’ no campo, o FSB (Serviço Federal de Segurança) dá prioridade aos testes na cidade", disse a fonte.

A fonte lembrou que os ratos são ativamente usados pelos serviços de segurança e pelo exército israelenses. Esses animais ajudaram a evitar muitos atentados terroristas em Israel, disse a fonte.

Ao citar as vantagens dos ratos em relação aos cachorros, a fonte disse que aqueles não precisam de muitos cuidados, têm o olfato mais apurado do que os cachorros e podem ser treinados em duas semanas.

Anton Venediktov, funcionário do Centro Evraas, focado em aplicar na prática sistemas de segurança com o uso de ratos, disse ao “Izvéstia” que os objetos cuja detecção é requerida causam aos ratos uma mudança dramática da atitude emocional.

Segundo Venediktov, uma das principais vantagens dos ratos em relação aos cachorros é que os roedores possuem um sistema nervoso menos organizado. Portanto, eles são menos propensas a alterações de humor, isto é, seu comportamento é mais estável.

"Os ratos são treinados para detectar no ar o cheiro de determinadas substâncias. Ao senti-lo, correm para a chamada zona de alarme marcada no contêiner onde eles são mantidos. Os sensores detectam seu deslocamento como sinal de alarme. Os ratos podem ser treinados para sinalizar sobre a presença de armas, explosivos, drogas e outros materiais", disse Venediktov.

A sensibilidade olfativa dos ratos é tal que basta haver alguns gramas de matéria explosiva para que eles a localizem ­–eles detectam a presença de armas pelo cheiro de pólvora e óleo lubrificante.

Segundo Venediktov, o centro está em negociações com vários aeroportos de Moscou para testar ratos na detecção de substâncias perigosas.


Publicado originalmente pelo Izvéstia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.