Queda de meteorito nos Urais deixa centenas de feridos

Edifício em Tchelyabinsk danificado por onda de explosão. Foto: TASS

Edifício em Tchelyabinsk danificado por onda de explosão. Foto: TASS

Um meteorito atingiu a região de Tcheliabinsk, nos Urais, nesta sexta-feira (15) e deixou mais de mil pessoas feridas. Especialistas estão monitorando o nível de radiação na área atingida.

Especialistas estão tentando identificar a origem do fenômeno que atingiu nesta sexta-feira (15) a região de Tcheliabinsk, na Rússia central. Alguns atribuíram a queda do meteorito a uma chuva de meteoritos, enquanto outros acreditam que tenha ocorrido devido à passagem de um meteoro ou de um bólido (bola de fogo) desintegrado nas camadas densas da atmosfera terrestre.

O incidente atingiu também as regiões vizinhas de Tiumen, Kurgan, Sverdlovsk e o norte do Cazaquistão. Entretanto, Tcheliabinsk foi a região mais atingida e centenas de locais ficaram feridos com estilhaços de vidro.

Mais de 20 mil bombeiros do Ministério para as Situações de Emergência (MSE) correram ao local para prestar socorro. Os militares tomaram o controle das instalações importantes e as aulas nas escolas locais foram suspensas.

Forte ​explosão

Às 07h23 (horário de Moscou) desta sexta-feira (15), o Observatório de Ekaterimburgo detectou uma chuva de meteoritos em forma de bólidos sobre a região de Tcheliabinsk.

Acreditava-se inicialmente que o forte clarão, seguido por uma enorme cauda branca no céu e um forte estrondo, teriam sido produzidos por um objeto voador não-identificado ou por um avião derrubado. Mais tarde, porém, foi identificado que a explosão havia sido provocada por um meteorito.

"Os moradores da cidade viram uma forte luz branca que iluminou tudo por alguns instantes", disse à agência Ria-Nóvosti uma moradora da cidade de Zlatoust, na região de Tcheliabinsk.

"De acordo com as últimas informações, a explosão foi causada por um meteorito que se desintegrou ao se aproximar da Terra", declarou a vice-diretora do departamento de imprensa e divulgação do MSE, Elena Smirnikh.

Região afetada pela queda do meteorito

Algumas informações ainda não confirmadas pelo MSE sugere que a chuva de meteoritos tenha atingido também na Bachquíria, república federada da Rússia no sul dos Urais.

De acordo com o órgão, pelo menos 1.200 pessoas, entre as quais 84 crianças, pediram assistência médica após a queda dos fragmentos do meteoritos, apresentando, em sua maioria, ferimentos causados por estilhaços de vidro. Não há registro de pessoas gravemente feridas, informou a polícia. Mesmo assim, o número de pessoas hospitalizadas chegou a, pelo menos, 112.

Primeira reação

Antes de as primeiras informações oficiais serem divulgadas, usuários de redes sociais começaram a postar na internet imagens e vídeos captados por celular, mostrando um corpo celeste cortando o céu e um clarão cor de rosa após uma onda de choque. Uma das gravações mostra como uma bola de fogo voa sobre a estrada deixando um longo rastro branco no céu.

É possível ouvir o barulho de vidros quebrados e alarmes de carro acionados pela explosão, bem como pessoas com crianças deixando rapidamente as ruas. O desespero inicial foi decorrência de não saber o que estava ocorrendo.

"Foi mais forte que o Sol", escreveu a usuária de rede social, Mejenina Marinchik. "Estava saindo da casa quando ouvi um forte estrondo que me deixou por um tempo surda do ouvido direito. Pensei que o mundo ia se acabar. Quinze segundos depois, ouvi uma forte explosão que arrebentou os vidros das janelas."

No entanto, o MSE declarou ter avisado a população local sobre a queda do meteorito via SMS. 

Danos causados

O Ministério da Defesa, a Agência Federal de Energia Atômica (Rosatom) e os executivos do setor energético do país afirmaram que todas as suas instalações localizadas na área do incidente estão funcionando normalmente.

O único estabelecimento seriamente atingido foi uma fábrica de zinco na região de Tcheliabinsk que teve parte de seu telhado e parede destruídas por causa de uma onda de choque gerada na queda do meteorito.

Algumas agências dos correiros das cidades de Tchelialbinsk, Kopeisk, Iuzhnouralsk e Troitsk também ficaram danificadas. 

Perspectivas

Os cientistas se dividem quanto à origem da queda do meteorito. Alguns não acreditam que a queda do meteorito tenha relação com o asteróide 2012 DA14, de 45 metros de diâmetro, que deve passar "raspando" pela Terra por volta das 23h00 (horário de Moscou) desta sexta-feira.

"Isso não tem nenhuma relação com o asteróide, pois ele segue seu curso, enquanto o meteorito seguiu o seu. Um asteróide voa sozinho enquanto os meteoritos representam um enxame que se repete constantemente", disse à agência RIA- Nóvosti a diretora do complexo astronômico automático da Universidade de Novossibirsk, mais conhecido como observatório Vega, Alfia Nesterenko.

O astrônomo Leonid Elénin, que trabalha no Instituto de Matemática Aplicada Keldich, concorda que ser pouco provável uma relação entre o meteorito que caiu nos Urais e o asteróide que está se aproximando da Terra.

"Esse é um objeto relativamente pequeno, é pouco provável que venha acompanhado por um enxame de objetos menores", disse o cientista. Mas Keldich disse não poder afirmar isso com certeza, enquanto não houver dados mais exatos sobre a trajetória do meteorito que caiu na Região de Tcheliabisnk. "Até o momento, nenhuma conclusão pode ser tirada a partir dos dados disponíveis", arrematou o astrônomo.

 

Com informações das agências RIA Nóvosti e ITAR-TASS  

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.