Volgogrado volta a ser Stalingrado por alguns dias

Foto: AFP

Foto: AFP

A cidade russa de Volgogrado vai novamente se chamar Stalingrado por tempo limitado para marcar o 70º aniversário da grande batalha da Segunda Guerra Mundial ocorrida na cidade. A medida foi aprovada pelas autoridades locais na última quinta-feira (31).

Os legisladores municipais anunciaram que Volgogrado voltaria temporariamente a ser chamada de Stalingrado neste sábado (2), mais de meio século depois de o nome da cidade ter sido alterado, em 1961, em virtude da campanha “culto da personalidade” contra o líder soviético Iossif Stálin.

A decisão foi tomada após “inúmeros pedidos” de veteranos da Segunda Guerra Mundial, segundo o comunicado oficial da prefeitura.

O decreto autoriza que o antigo nome da cidade seja usado em eventos, discursos e relatórios oficiais durante, pelo menos, seis datas começando este ano. Essas comemorações incluem o Dia da Vitória, celebrado na Rússia em 9 de maio, o contra-ataque em Stalingrado (19 de novembro), e a data que marca o fim da Segunda Guerra Mundial para os russos (2 de setembro), entre outros acontecimentos relacionados à guerra.

A grande batalha de Stalingrado teve início em 17 de julho de 1942 e terminou em 2 de fevereiro do ano seguinte. No total, cerca de dois milhões de soldados de ambos os lados morreram no conflito.

Volgogrado era originalmente chamada de Tsaritsin até 1925, quando foi rebatizada em homenagem a Stálin por seu papel na condução do Exército Vermelho durante a Guerra Civil. O nome atual da cidade faz referência ao líder soviético Nikita Khruschev, como parte de sua campanha de desestalinização oito anos após a morte de Stálin.

Serguêi Mitrokhin, líder do partido da oposição liberal Iábloko,  manifestou-se contra a homenagem a Stálin durante as celebrações deste ano, dizendo que a vitória na batalha foi conquistada pelo povo, e não pelo líder soviético. “Esperamos que eles não mudem o nome da cidade oficialmente”, disse Mitrokhin à agência RIA Nóvosti.

No início desta semana, um grupo de ativistas do Partido Comunista e do movimento sindical dos cidadãos russos recolheu mais de 50 mil assinaturas em uma petição pedindo ao presidente Vladímir Pútin para renomear a cidade, cuja população beira um milhão de habitantes, como Stalingrado. Pútin ainda não fez comentários sobre a proposta.

Eu realmente gostaria que a cidade voltasse a se chamar Stalingrado, pois ela merece esse nome”, disse o veterano de guerra e nativo da cidade, Boris Krijanovski, à RIA Nóvosti.

Em uma pesquisa do Centro Levada realizada em outubro, 60% dos entrevistados foram contra a renomeação de Volgogrado, enquanto 18% apoiaram a ideia. A margem de erro da pesquisa, que consultou 1.601 russos em todo o país, é de 3,4%.

Eventos comemorativos

Um ensaio para o desfile comemorativo foi realizado no centro de Volgogrado durante a semana, antecipando as celebrações do sábado. A festa marca a rendição das forças do Eixo no final da Batalha de Stalingrado, que durou 200 dias e é vista pelos historiadores como um dos momentos mais importantes da guerra.

Além disso, orquestras sinfônicas russas e alemãs tocarão juntas em um show na cidade no domingo (3), como parte das celebrações.

Um grupo de ativistas pró-Stálin planeja colocar os polêmicos “Ônibus da Vitória” nas ruas de  Volgogrado (também conhecidos como “Stalinobuses”), decorados com retratos do líder soviético. Os ônibus também vão rodar nas vias de São Petersburgo e Tchita.

Cabe lembrar, contudo, que os “Stalinobuses” usados nas celebrações do Dia de Vitória em 2010 e 2011 geraram diversos protestos de grupos dos direitos humanos.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.