Na Rússia, ser piloto de aeronave é mais rentável do que ser cosmonauta

Foto: AFP

Foto: AFP

De acordo com a tabela salarial atualizada pelo governo, os cosmonautas russos irão ganhar entre 61 e 81 mil rublos (entre R$ 4100 e R$ 5400) por mês em função do cargo ocupado, deixando-os atrás não só de seus colegas estadunidenses, como até dos pilotos da aviação civil russa.

Os cosmonautas russos ganham cinco vezes menos do que seus colegas estadunidenses.

De acordo com a tabela salarial atualizada pelo governo, os cosmonautas russos irão ganhar entre 61 mil e 81 mil rublos (entre R$ 4.100 e R$ 5.400) por mês em função do cargo ocupado, além de uma série de prêmios extraordinários periódicos.

Assim, em termos salariais, os cosmonautas russos ficam atrás não só de seus colegas estadunidenses como até dos pilotos da aviação civil russa.

Os reajustes de salários, prêmios e acréscimos salariais pelo tempo de serviço e outros foram fixados em um decreto especial do governo russo. Segundo o documento, o salário do candidato a cosmonauta é de 60.900 rublos (cerca de R$ 4.000), de 63.800 rublos (cerca de R$ 4.300) para o cosmonauta, e de 88.450 rublos (cerca de R$ 6.000) para o cosmonauta instrutor.

Após a primeira viagem espacial, o cosmonauta tem seu salário aumentado para 69.600 (cerca de R$ 4.700).

O diretor dos programas tripulados da Agência Espacial Russa (Roskokosmos), Aleksêi  Kransov, havia dito à imprensa que, na época soviética, os cosmonautas ganhavam muito mais do que um soviético médio, recebendo do Estado como prêmio por um voo espacial um apartamento e um automóvel Volga.

Além disso, tinham o direito de receber gratuitamente jogos de roupa de cama, ternos civis, sobretudos e até meias.

Comparação desfavorável

Os astronautas americanos ganham um ordenado fixo de US$ 120 mil a US$ 130 mil por ano, independentemente de trabalharem na Terra ou em órbita. O ordenado mensal dos funcionários da Nasa (agência espacial americana) é de US$ 10,8 mil.

Os cosmonautas russos ganham entre US$ 130 mil e US$ 150 mil só quando são enviados em missão de seis meses à ISS (Estação Espacial Internacional), disse o diretor do programa de voos do segmento russo da ISS, Vladímir Soloviov.

Para efeito de comparação, em 1962, o salário mensal do primeiro cosmonauta do mundo, Iúri Gagarin, era de US$ 575,10, com um rublo valendo US$ 0,90, enquanto o salário de Neil Armstrong, conhecido por ser o primeiro homem a pisar na Lua, era de US$ 1.666 por mês,  2,8 vezes superior ao do cosmonauta soviético.

Hoje, a diferença quase dobrou. Os astronautas da Agência Espacial Européia (ESA, na sigla em inglês) ganham entre € 4,5 mil e € 5,1 mil por mês no primeiro ano de trabalho. No ano seguinte, seu salário aumenta para € 5,6 mil a € 6,3 mil por mês para atingir € 6,5 mil a € 7,3 mil após a primeira missão espacial.

O primeiro homem a sair da nave para fazer uma caminhada extraveicular no espaço, Aleksêi Leonov, disse que os "cosmonautas russos não podem se gabar de ganhar bem: alguns deles, condecorados com a medalha Herói da Rússia, vivem com as famílias em apartamentos de um único cômodo ou em hospedarias por muitos anos".

Na opinião de Sergêi Krikaliov, diretor do Centro de Treinamento de Cosmonautas Iúri Gagarin, o cosmonauta deve ganhar um salário digno, superior ao salário médio no país e à média na indústria espacial.  O bom salário não deve ser o principal motivador para o trabalho, disse Krikaliov.

"O salário do cosmonauta deve condizer com o trabalho que ele executa e o risco a que ele se expõe no exercício de suas funções. É inadmissível que, ao se tornar cosmonauta, uma pessoa descanse sobre os louros e beneficie das regalias", disse Krikalev em entrevista à agência de notícias “RIA Nóvosti”.

Piloto de aeronave

O vice-diretor do Instituto de Pesquisa Espacial da Rússia, Viatcheslav Ródin,

é contra as tentativas de confrontar os salários dos astronautas russos e estrangeiros.

"É verdade que os salários dos cosmonautas russos não são grandes, mas eles não são pessoas pobres", disse Rodin em entrevista ao jornal “Vzgliad”.

Já Iúri Karach, membro correspondente da Academia de Cosmonáutica da Rússia Tsiolkovski, diz que, na Rússia, a profissão de cosmonauta foi desvalorizada para o nível de "piloto de aeronave", na melhor das hipóteses.

"Os pilotos de avião ganham hoje mais do que os cosmonautas. O salário do comandante de uma aeronave como A-320 pode atingir US$ 11 mil a US$ 12 mil, contra US$ 2.900 pagos, na melhor das hipóteses, ao cosmonauta", disse o especialista surpreendido.

"Eu falei recentemente com um cosmonauta que está se preparando para uma missão espacial. Quando ele retornar à Terra, vai receber US$ 90 mil dólares. À primeira vista, essa soma é grande, mas não chega sequer para comprar um apartamento de um único cômodo em Moscou. O que mais impressiona é ele ter se preparado para esse voo por 12 anos, ganhando apenas 60 mil rublos (cerca de R$ 4 mil) por mês no máximo", disse o especialista, acrescentando que, na Rússia, ser piloto de aeronave é mais rentável do que ser cosmonauta.

 

Para ver a versão completa do artigo em russo, clique:

http://vz.ru/economy/2012/12/19/612720.html

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.