Aquecimento global provoca aumento na quantidade de neve na Sibéria

Foto: AP

Foto: AP

"Surge um paradoxo –com o aquecimento, que agora está se tornando mais característico, há mais neve sobre a Terra. Isso acontece em grandes extensões da Sibéria, onde há mais neve do que havia uma ou duas décadas atrás”, disse o diretor do Instituto de Geografia, da Academia de Ciências da Rússia, Vladimir Kotlyakov.

A mudança global do clima global acarreta um aumento da cobertura de neve no Hemisfério Norte e na Sibéria, informou na semana passada o diretor do Instituto de Geografia da Academia de Ciências da Rússia, Vladimir Kotlyakov, durante o Fórum Mundial da Neve.

"Surge um paradoxo –com o aquecimento, que agora está se tornando mais característico, há mais neve sobre a Terra. Isso acontece em grandes extensões da Sibéria, onde há mais neve do que há duas décadas”, disse Kotlyakov.

De acordo com o geógrafo, a tendência de crescimento de áreas cobertas com neve no Hemisfério Norte está sendo observada pelos cientistas desde a década de 1960, quando foram iniciadas as observações das coberturas de neve por meio de satélites.

"Agora é a era do aquecimento global e, com o aumento da temperatura, também cresce a quantidade de umidade nas massas de ar, por isso a quantidade de neve aumenta nas zonas frias. Isso demonstra a grande sensibilidade da cobertura de neve para qualquer alteração na composição da atmosfera e sua circulação, o que deve ser lembrado na avaliação de quaisquer reações dos seres humanos sobre o meio ambiente”, explica o cientista.

Em geral, há mais neve no Hemisfério Norte do que no Sul, onde o oceano interfere no seu alastramento.

"Em agosto, a neve cobre somente 9% de todo o globo terrestre. No Hemisfério Norte a cobertura de neve varia durante o ano mais do que sete vezes. No Sul, menos do que o dobro”, acrescentou Kotlyakov.

De acordo com dados da National Oceanic and Atmospheric Administration, dos Estados Unidos, em dezembro de 2012, a área total coberta por neve no Hemisfério Norte foi a maior em mais de 130 anos de observações —foram registrados valores médios de quase 3 milhões de quilômetros quadrados a mais, excedendo em 200 mil quilômetros quadrados o recorde registrado em 1985.

Em média, de acordo com os meteorologistas americanos, a área do Hemisfério Norte coberta por neve no inverno tem crescido a uma taxa de cerca de 0,1% por década.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.