Marinha ataca Estado Islâmico com mísseis Kalibr; assista

"Admiral Essen" lançando mísseis de cruzeiro.

"Admiral Essen" lançando mísseis de cruzeiro.

RIA Nôvosti
Moscou lança mísseis como demonstração de força para fechar novos contratos de venda de armamentos, segundo analistas russos.

A Marinha russa divulgou na terça-feira (30) que seus navios atacaram posições de militantes do Estado Islâmico na região de Palmira, Síria.

A fragata Almirante Essen e o submarino do projeto 636.3 Krasnodar lançaram quatro mísseis de cruzeiro Kalibr.

O Ministério de Defesa russo confirmou que o ataque foi realizado a partir da região oriental do Mediterrâneo e que "todos os alvos foram eliminados".

O ministério também publicou um vídeo do ataque em sua página no YouTube.

Fonte: YouTube/Ministério da Defesa da Rússia

Foi o ministro da Defesa, Serguêi Choigu, quem informou o presidente russo sobre o sucesso dos lançamentos, de acordo com porta-voz do presidente russo, Dmítri Peskov.

"Choigu informou Pútin sobre uma série de lançamentos bem-sucedidos de mísseis Kalibr a partir de um submarino no mar Mediterrâneo contra alvos do Estado Islâmico na Síria", disse Peskov à agência de notícias Tass.

Segundo comunicado do Ministério da Defesa, o ataque foi realizado contra um armazém de equipamentos militares pesados e contra refúgios de terroristas localizados a oeste de Palmira.

Além disso, segundo a pasta, os comandos militares dos Estados Unidos, Turquia e Israel foram informados sobre os lançamentos de mísseis de cruzeiro por meio de canais de interação.

"Esse ataque bem-sucedido mostrou que a Marinha russa é capaz de efetuar ataques com armamentos de alta precisão em um prazo mínimo após o recebimento da ordem”, lê-se no comunicado.

Submarinos do projeto 636.3

Diversos mísseis foram lançados do submarino Krasnodar, do projeto 636.3. Segundo o ex-comandante da Frota do Mar Negro da Rússia, Ígor Kassatonov, essas embarcaçõs podem detectar alvos a uma distância de 3 a 4 vezes maior do que as zonas de funcionamento dos sistemas de radar existentes.

"Em breve, a Frota do Mar Negro receberá o sexto submarino diesel-elétrico do projeto 636.3. Esses navios são muito silenciosos e difíceis de detectar", disse.

"As capacidades dos novos submarinos foram demonstradas pela primeira vez em 2015, quando o submarino Rostov-no-Don atacou terroristas na Síria com mísseis Kalibr. Após a entrega do sexto submarino do projeto 636.3, a Frota do Mar Negro concluirá a formação da primeira brigada completa de submarinos na região”, disse Kassatonov.

Segundo ele, as empresas do complexo militar-industrial construirão mais seis submarinos desse projeto para a Frota do Pacífico até 2020.

Por que Kalibr para pequenos destacamentos?

Cada submarino do projeto 636.3 é equipado com mísseis de cruzeiro Kalibr-PL, com alcance efetivo de até 2.500 quilômetros.

O peso da ogiva do míssil é de cerca de 500 kg. A onda de explosão destrói tudo a centenas de metros do epicentro da explosão.

"É uma arma altamente explosiva que pode penetrar fortificações de concreto bem protegidas", explica o analista militar do jornal Izvêstia, Dmítri Safonov.

Segundo ele, os mísseis Kalibr são muito caros, não há necessidade de usá-los na luta contra os militantes do Estado Islâmico. 

“Esses lançamentos são apenas uma demonstração das capacidades da frota russa a potenciais compradores do Sudeste Asiático e da América Latina e aos colegas da Otan, que estão construindo novas bases militares na Europa Oriental", completa.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.