Novo comandante assume operação russa na Síria

Tripulantes de caça Su-30 russo se preparam para decolagem de base na Síria

Tripulantes de caça Su-30 russo se preparam para decolagem de base na Síria

Dmítri Vinogradov/RIA Nôvosti
Tenente-general Aleksandr Juravlev tem missão de reverter quadro contra militantes do Estado Islâmico (EI), que avançaram novamente junto aos arredores de Palmira.

O tenente-general Aleksandr Juravlev, primeiro vice-comandante do Distrito Militar do Sul da Rússia, foi nomeado como comandante das forças russas na Síria, segundo informou o jornal “Kommersant”. A missão principal do novo comandante será conter novo avanço do Estado Islâmico (EI) em direção à cidade histórica de Palmira.

Os militantes do grupo terrorista iniciaram uma ofensiva e tomaram diversos postos avançados em periferias do leste da cidade durante o período de “transição” de comandantes das tropas aeroespaciais russas na Síria – o ex-comandante da operação, o coronel-general Aleksandr Dvôrnikov, foi designado ao posto de comandante do Distrito Militar do Sul da Rússia.

“O primeiro objetivo do comandante será destruir os militantes perto de Palmira. Para isso, o Ministério da Defesa da Rússia já usou um grupo de seis bombardeiros estratégicos Tu-22M3, cada um com oito toneladas de bombas de alto poder explosivo”, disse o observador militar Dmítri Litóvkin, à Gazeta Russa.

Os ataques foram conduzidos nos subúrbios orientais de Palmira, que englobam as regiões de Es Sukhne e Arak, nos dias 12, 14 e 21 de julho.

Devido ao avanço do EI, o Estado-Maior General russo também planeja implantar na região bombardeiros estratégicos Tu-95MS e Tu-160.

Além disso, o porta-aviões Almirante Kuznetsov, principal componente da frota russa, viajará em breve ao litoral sírio no Mediterrâneo. O navio transporta cerca de 10 helicópteros Ka-52K, que serão usados no conflito pela primeira vez, assim como 15 caças Su-33 e Mig-29K.

Pessoa ‘fechada’

O novo comandante se formou na Academia de Tropas de Tanques Blindados há 20 anos e trilhou seu caminho de chefe de gabinete de um regimento de tanques até o comando de uma divisão de rifles motorizados no Extremo Oriente.

“Por um tempo, ele serviu no Cáucaso, e, em 2015, foi enviado para a Síria como vice-comandante da operação”, disse Litóvkin, antes de descrever Juravlev como uma “pessoa fechada”.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.