Operação russa destruiu mais de 30 mil alvos na Síria, afirma Pútin

Após retomada de regiões sírias, Rússia ajudará na reconstrução de marcos históricos

Após retomada de regiões sírias, Rússia ajudará na reconstrução de marcos históricos

Reuters
Em discurso, presidente russo Vladímir Pútin afirmou que campanha ‘mostrou eficiência de armamento nacional’, mas também alertou para falhas deficiências a serem investigadas.

Desde o início de sua operação militar na Síria, as Forças Aeroespaciais russas realizaram mais de 10 mil missões e destruíram mais de 30 mil alvos, incluindo cerca de 200 instalações para extração e processamento de matérias-primas, informou o presidente russo Vladímir Pútin.

Segundo ele, o sucesso da operação se deveu ao trabalho bem coordenado das Forças Aéreas do país. “Os bombardeiros de longo alcance realizaram 178 missões. Os ataques contra a infraestrutura do Estado Islâmico foram precisos e permitiram um avanço significativo na luta contra os terroristas”, declarou.

Pútin informou ainda que, durante a operação na Síria, militares russos realizaram 115 lançamentos de mísseis de cruzeiro, a partir de submarinos, aviões e bombardeiros.

Resolução política

Na avaliação do presidente russo, a situação na Síria continua complicada, mas é necessário criar todas as condições para a solução política do conflito. “Espero que a estratégia elaborada com parceiros estrangeiros, inclusive com representantes dos EUA, leve a mudanças construtivas e radicais na Síria”, disse.

Pútin também destacou o papel do Exército sírio na luta contra os terroristas, que, com o suporte das Forças Aeroespaciais russas, conseguiu liberar mais de 500 assentamentos, incluindo a cidade de Palmira, "pérola da civilização e da cultura mundial”.

No entanto, segundo o presidente, a campanha militar na Síria identificou diversos problemas e deficiências. “Cada questão problemática deve ser investigada profundamente [...] é necessário fazer tudo para evitar repetir as mesmas falhas”, disse.

“Isso permitirá ajustar o desenvolvimento e a modernização do equipamento militar russo”, completou.

Texto originalmente publicado pela agência Tass

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.