‘Noz’ recheada de doce de leite, a favorita dos soviéticos; aprenda receita

Legion Media
Um dos principais ingredientes na URSS, leite condensado não só incrementava receitas já existentes, como deu origem a muitas novas.

Talvez nem todo mundo saiba, mas o leite condensado (sguchionka, em russo) é também muito popular na Rússia. O produto, que foi fabricado pela primeira vez na França e nos Estados Unidos no século 19, é um dos ingredientes mais tradicionais para molhos e sobremesas doces no país desde a época soviética.

A produção de leite condensado começou na Rússia em 1881 na cidade de Oremburgo, mas o produto não era popular, e a fábrica teve que fechar. Foi somente no início do século 20 que a produção foi reavivada devido a necessidades militares; o leite enlatado não só podia ser armazenado por um ano em qualquer condição, mas funcionava como fonte de hidratação rápida. Durante a Segunda Guerra Mundial, o sgushyonka foi produzido sobretudo para soldados, mas, na década de 1950, começou a produção em massa, com uma fábrica de lácteos enlatados na região de Krasnodar.

Os russos que cresceram na União Soviética recordam o sabor doce das sobremesas caseiras feitas com sgushyonka. As donas de casa o usavam em muitas receitas, adicionando-o ao chá e ao café, em massas, ou como recheio para doces. Era menos comum, porém, fervê-lo para depois colocar sobre panquecas, waffles e biscoitos.

Reza lenda de que o leite condensado fervido é resultado de um truque do filho do oficial Anastas Mikoyan, um dos fundadores da cozinha soviética. Por algum motivo desconhecido, o garoto curioso tentou supostamente ferver a lata, mas esta acabou explodindo. Ainda assim, o sabor do creme caramelizada o surpreendeu – e também seu pai. A produção em massa de doce de leite pronto, como se conhece hoje, só começou na Rússia na década de 1990. Antes disso, o método da fervura era de praxe.

A melhor forma de fazer isso, atualmente, é usando uma panela de pressão. Para obter o resultado desejado, o ideal é deixar de 15 a 30 minutos sob pressão; o sabor acentuado de açúcar queimado, a coloração e a textura do creme dependerão do tempo de cozimento. Caso prefira utilizar uma panela comum, o processo deverá levar, pelo menos, duas horas (lembrando que, neste caso, é preciso verificar, de tempos e tempos, a necessidade de acrescentar mais água). Em ambos os métodos, deve-se esperar a lata esfriar antes de abri-la – o doce está fervendo lá dentro!

Sentindo-se confiante? Está na hora então de preparar uma das sobremesas prediletas na União Soviética: nozes com leite condensado cozido.

‘Nozes’ com leite condensado cozido

Ingredientes

1 ovo

¼ xícara de açúcar

120 g de manteiga

1 ½ xícara de farinha

1 lata de leite condensado

½ colher de chá de fermento 

Modo de preparo

Em primeiro lugar, prepare a massa. Misture o açúcar, a manteiga (a temperatura ambiente), a farinha e o fermento. 

Bata as claras em neve e acrescente à massa. Mexa até ficar homogênea e deixe-a na geladeira por 30 minutos.

Faça pequenas bolinhas com a massa (1,5 a 2 cm de diâmetro). Cada bola se transformará em metade de uma “noz”.

Pegue uma panela ou forma para “nozes” (ou qualquer outro formato), e unte com manteiga; deixe a forma aquecer por um tempo antes de colocar a massa; em seguida, coloque as bolinhas nas formas, e frite cada lado por um minuto e meio.

Deixe esfriar por 15 a 20 minutos e comece a montar as “nozes”. Coloque uma colher de chá de doce de leite em cada metade e feche-as. Sirva com chá ou café.

Esses biscoitinhos continuam frescos e saborosos por uma semana se conservados na geladeira.

Priátnogo appetita!  

Deu água na boca? Leia também "10 doces que toda criança soviética adorava".

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais