Protestos anticorrupção terminam em detenções

A young protestor holds up a Russian flag during a demonstration in downtown Moscow, Russia, Monday, June 12, 2017. Russian opposition leader Alexei Navalny, aiming to repeat the nationwide protests that rattled the Kremlin three months ago, has called for a last-minute location change for a Moscow demonstration that could provoke confrontations with police

A young protestor holds up a Russian flag during a demonstration in downtown Moscow, Russia, Monday, June 12, 2017. Russian opposition leader Alexei Navalny, aiming to repeat the nationwide protests that rattled the Kremlin three months ago, has called for a last-minute location change for a Moscow demonstration that could provoke confrontations with police

AP
Durante os eventos que marcaram o Dia da Rússia, celebrado nesta segunda (12), manifestantes em todo país guiados pela oposição acabaram em confronto e prisões.

Manifestantes atendem a pedido de Naválni e lotam rua Tverskaya, no centro de Moscou (Foto: Reuters)Manifestantes atendem a pedido de Naválni e lotam rua Tverskaya, no centro de Moscou (Foto: Reuters)

Protestos contra a corrupção organizados pelo líder da oposição Aleksêi Naválni e seus seguidores ocorreram em diversas cidades russas nesta segunda-feira (12). As manifestações em massa lideradas por Naválni acontecem pela segunda vez neste ano – a primeira, em 26 de março, foi o maior protesto político do país desde 2011.

Em Moscou, o protesto planejado na avenida Sakharov havia sido aprovado pelas autoridades, porém, 17 horas antes do início, Naválni publicou um vídeo no YouTube com um apelo de “emergência” pedindo aos seguidores para irem à rua Tverskaya, no centro, por causa da recusa das autoridades em fornecer palco e som no local oficial.

Jovem manifestante levando bandeira russa durante protesto no centro de Moscou (Foto: AP)Jovem manifestante levando bandeira russa durante protesto no centro de Moscou (Foto: AP)

Após a meia-noite, o Gabinete da Procuradoria-Geral publicou um comunicado em seu site destacando que qualquer tentativa de organizar um protesto na rua Tverskaya seria ilegal e que “as agências de aplicação da lei seriam forçadas a tomar todas as medidas necessárias para coibir quaisquer provocações”.

Horas antes do início do protesto, que estava agendado para as 2 da tarde, viaturas policiais e uma unidade da polícia de choque, a divisão chamada Omon, fizeram uma barreira ao longo do perímetro da rua Tverskaya e ruas adjacentes. 

Ainda assim, vários cidadãos se reuniram ali.

Manifestantes no centro de Moscou (Foto: AP)Manifestantes no centro de Moscou (Foto: AP)

O protesto desta segunda coincidiu com o feriado do Dia da Rússia (celebrado anualmente em 12 de junho), razão pela qual as autoridades de Moscou organizaram um festival de reconstituições de diferentes períodos históricos. Vikings, cossacos, soldados da Segunda Guerra Mundial com rifles sobre seus ombros, pessoas em uniformes da Guerra Napoleônica de 1812, equipamentos de tortura medieval e barricadas de areia se misturavam a manifestantes na rua Tverskaya.

O que aconteceu na Tverskaya?

No horário designado, a calçada ao longo da rua começou a ser tomado por jovens, predominantemente estudantes que claramente não estavam ali pelas reconstituições históricas. Paralelamente, uma multidão formada por manifestantes já estava se formando fora da área isolada por portões de detecção de metais.

Polícia vigia manifestação no centro da capital russa (Foto: AP)Polícia vigia manifestação no centro da capital russa (Foto: AP)

Muitas pessoas compareceram ao protesto carregando bandeiras russas e cartazes improvisados com mensagens anticorrupção. Vários transeuntes que queriam apenas passear e observar instrumentos de tortura e tanques na rua acabaram se envolvendo em conflito com os manifestantes, que os impediam de entrar na área da encenação.

“Por que protestar? Ninguém gosta disso. Posso assegurar a vocês que não se trata de Naválni. Eles só mentem para nós, e isso nos deixa loucos”, argumentava uma jovem que segurava um cartaz dobrado debaixo do braço.

Membros da Guarda Nacional da Rússia empurram pessoas para as calçadas durante protesto em Moscou (Foto: Reuters)Membros da Guarda Nacional da Rússia empurram pessoas para as calçadas durante protesto em Moscou (Foto: Reuters)

Os manifestantes não desdobravam seus cartazes antes de passar pelo detector de metais e pelo cordão da polícia, tentando ver o que acontecia em outras áreas porque as barreiras, as viaturas policiais e as fileiras da Omon obstruíam a visão.

Boatos de que pessoas desconhecidas estavam coletando dados pessoais dos manifestantes – números de contas de aposentadoria – que estavam na avenida Sakharov (em minoria) surgiram na internet.

Polícia detém homem durante protesto na rua Tverskaya (Foto: Reuters)Polícia detém homem durante protesto na rua Tverskaya (Foto: Reuters)

O clima do protesto mudou drasticamente às 14h05 (hora local), quando a polícia iniciou uma operação contra os manifestantes, que estavam de pé segurando cartazes desdobrados e cantando o hino nacional russo em voz alta.

“Bem, agora, definitivamente seremos expulsos do nosso percurso”, disse um jovem, aparentemente estudante, a um colega. Ainda assim, ambos se dirigiram rumo às barreiras levando cartazes, que foram retirados da multidão um a um pela polícia.

Jovem reage após amigo ser detido pela polícia em Moscou (Foto: AP)Jovem reage após amigo ser detido pela polícia em Moscou (Foto: AP)

A poucos passos dali, na tenda Rússia Multiétnica, acontecia uma apresentação do grupo folclórico conhecido como Buránovskie Bábuchki (Vovós de Buranovo).

Vinte minutos depois, pessoas começaram a ser arrastadas pelo chão ou erguidas pelo ar, enquanto a polícia tentava tirá-las da multidão, embora manifestantes cercassem aqueles que os oficiais ameaçavam deter. A multidão entoava “Dia da Rússia” ou “Vergonha” toda vez que alguém desaparecia dentro das viaturas.

Jovem manifestante é detido pela polícia durante protesto na capital (Foto: AP)Jovem manifestante é detido pela polícia durante protesto na capital (Foto: AP)

Alguns jovens tentaram tomar os cassetetes dos policiais, mas jornalistas presentes no local recomendaram que os manifestantes não cedessem às provocações: “Vocês não percebem que podem ser presos? Querem um novo Bolotnáia [protesto em massa na praça Bolotnáia, em 2012, que resultou em inúmeras detenções]?”.

“E o que eles estão fazendo? Não é uma provocação? Estamos aqui pacientemente, por que eles estão fazendo isso?”, retrucou um jovem de 20 e poucos anos.

“Pessoas retardadas”

Apesar da aglomeração no centro de Moscou, os principais organizadores não puderam comparecer ao local. A mulher de Naválni escreveu na conta do Twitter do marido que ele havia sido detido na entrada do prédio quando estava a caminho do protesto (na manifestação de março passado, ele permaneceu livre por 5 minutos).

Segundo a polícia, a detenção se devia aos apelos de Naválni para que as pessoas participassem de uma manifestação não autorizada. Outro organizador, Iliá Iáchin, foi detido na rua três minutos após sair da estação de metrô Tverskaya.

Em São Petersburgo, a polícia agiu de modo semelhante. Depois de advertirem os manifestantes reunido no Campo de Marte a se dispersar, as forças da Omon cercaram as pessoas que entoavam “A Rússia ficará livre” e as levaram para as viaturas.

Manifestantes formam corrente humana durante protesto em São Petersburgo (Foto: AP)Manifestantes formam corrente humana durante protesto em São Petersburgo (Foto: AP)

Em Vladivostok, no Extremo Oriente russo, a manifestação havia sido liberada pelas autoridades locais, no entanto, os organizadores também decidiram alterar o ponto de encontro – sem autorização, seguiram à praça em frente à estação ferroviária onde um festival de cultura cossaca estava acontecendo. Vinte e duas pessoas foram detidas, incluindo três jovens supostamente menores de idade.

Cerca de 5.000 pessoas se reuniram também em Novosibirsk, na Sibéria, exigindo medidas duras contra as autoridades corruptas. O evento terminou sem incidentes. No entanto, duas pessoas foram detidas por usar um drone sem antes informar a polícia.

Já nas cidades de Ufá, Barnaul, Irkutsk e várias outras, os protestos transcorreram de  forma pacífica.

Enquanto isso, as autoridades de Moscou descreveram a manifestação desta segunda como “100% provocação de pessoas retardadas” que tentavam estragar o feriado.

Polícia prende jovem manifestante durante protesto em São Petersburgo (Foto: AP)Polícia prende jovem manifestante durante protesto em São Petersburgo (Foto: AP)

“As ações da polícia são acertadas como um relógio. Não há intenção de expulsar todos, mas o trabalho profissional está em andamento em relação àqueles que continuam a provocar a situação”, declarou a Secretaria de Segurança de Moscou. Segundo a oposição, mais de 200 pessoas foram detidas em Moscou.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.